Inquérito que indicou propina para líder do governo no Senado aguarda PGR há 3 meses

·1 minuto de leitura
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 28.03.2019 - O senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE) durante entrevista à Folha em seu gabinete em Brasília (DF). (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 28.03.2019 - O senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE) durante entrevista à Folha em seu gabinete em Brasília (DF). (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O relatório final do inquérito em que a Polícia Federal indiciou o líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), pelos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e associação criminosa aguarda há três meses manifestação da Procuradoria-Geral da República.

Cabe a Augusto Aras oferecer denúncia, arquivar ou pedir novas diligências. Segundo o site do Supremo Tribunal Federal, o caso está à disposição da PGR desde 8 de junho.

A PF afirma em seu relatório final de 300 páginas ter encontrado indícios de que Bezerra e um de seus filhos receberam R$ 10,4 milhões em propina de empreiteiras.

A PGR não respondeu à reportagem se há expectativa sobre uma manifestação no caso.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos