Insatisfação no Centrão levou Bolsonaro a planejar troca na Casa Civil com Ciro Nogueira

·1 minuto de leitura

BRASÍLIA — Para conter insatisfações de aliados do Centrão, o presidente Jair Bolsonaro avalia uma nova mudança ministerial com a substituição do ministro-chefe da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos. Para o posto, Bolsonaro sondou o senador Ciro Nogueira (PI), presidente do Progressistas, um dos principais partidos da base do governo.

Além de melhorar a articulação no Senado, em meio à CPI a Covid e com dificuldades na indicação de André Mendonça para o Supremo Tribunal Federal (STF), a mudança serviria para aplacar uma insatisfação pessoal do próprio Ciro.

Pré-candidato ao governo do Piauí, o senador ficou irritado com o fato de o governo do Piauí, comandado por seu adversário político Wellington Dias (PT), ter anunciado na semana passada que o Ministério da Economia autorizou uma operação de crédito por meio do Banco do Brasil de R$ 800 milhões para o estado. Procurado, Ciro negou que tenha ficado insatisfeito com o episódio. Caso a nomeação de Ciro seja confirmada, será o primeiro senador a ocupar um ministério no governo Bolsonaro. A Casa Civil é responsável pela coordenação entre os ministérios e pela nomeação dos principais cargos no governo.

Os detalhes da articulação com Ciro e o aviso de Bolsonaro para Ramos, amigo do presidente desde a Academia Militar dos Agulhas Negras, você lê na matéria completa.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos