Inscrições para o Educação 360 Internacional abrem hoje às 9h

·2 minuto de leitura

Como os professores estão se preparando para o pós-pandemia? Como lidamos com as incertezas da retomada escolar? Essas e outras questões serão debatidas no Educação 360 Internacional, uma iniciativa dos jornais EXTRA, O Globo e Valor Econômico que reúne pensadores, professores, escritores, estudantes, psicólogos e especialistas do Brasil e do mundo. Os debates e palestras são abertos para toda a sociedade.

O evento acontecerá nos dias 14 e 15 de setembro em versão on-line e gratuita, e as inscrições abrem hoje, às 9h, no site educacao360.com. O Educação 360 Internacional tem patrocínio do Grupo SEB, apoio do Itaú Social e apoio institucional de Unicef, Unesco, Futura e Fundação Roberto Marinho.

O educador finlandês Pasi Sahlberg, que atuou como professor, formador de professores e trabalhou em reformas educacionais de diversos países, fará a abertura com a palestra “Ensinando a incerteza”. Em seguida, Guiomar Namo de Mello, ex-secretária de Educação da cidade de São Paulo e que hoje dirige a Escola Brasileira de Professores, comentará o tema.

Um painel formado por professores também terá espaço no primeiro dia. O debate “Nada será como antes?” vai tratar das estratégias usadas no ensino a distância. Entre os convidados está o professor Alberto Rodrigues dos Santos, que dá aula de artes na rede pública de Piraju (SP). Na pandemia, ele utilizou uma técnica de holografia caseira para alunos da educação infantil e do ensino fundamental:

— Funciona com uma pirâmide invertida de plástico, colocada sobre o celular. Fiz 200 pirâmides e enviei para os estudantes. Assim, eles podiam me ver em miniatura em vídeos que gravei contando histórias e explicando movimentos artísticos.

A educação inclusiva, o novo ensino médio e o uso da tecnologia na educação também serão debatidos no primeiro dia, com convidados como Rozana Barroso, presidente da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas; Paulo Blikstein, professor da Universidade de Columbia (EUA); e Ricardo Henriques, superintendente executivo do Instituto Unibanco.

Marcando o centenário de nascimento de Paulo Freire, educadores vão analisar a metodologia freireana na atualidade. Para Fabio Campos, pesquisador em educação e tecnologia na New York University e cofundador do Curso Invest, programa de educação popular no Rio, que participará do debate, este é um bom momento para se mergulhar na obra de Freire:

— Voltou com força a ideia de que falar sobre temas sociais na escola, como feminismo e racismo estrutural, é indesejável e taxado de doutrinação. Mas onde fica o ensinar a pensar e debater? Freire dizia que a realidade não está parada, esperando ser aprendida pelo aluno, mas que deve ser recriada todos os dias.

No segundo dia, haverá debates sobre racismo na escola, impactos socioemocionais do confinamento, reflexos da pandemia sobre a educação e como promover empatia entre crianças e jovens. Entre os convidados estão o escritor Jeferson Tenório; a pesquisadora Kelly Quirino; o psiquiatra Jairo Bouer; a presidente do Conselho Nacional de Educação, Maria Helena Guimarães de Castro; e o professor de Harvard Richard Weissbourd.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos