INSS: dona de casa tenta trocar Pensão por Morte após pedido indeferido

·2 min de leitura
A dona de casa entrou com recurso administrativo após indeferimento, mas ainda aguarda resposta. Foto: Getty Images.
A dona de casa entrou com recurso administrativo após indeferimento, mas ainda aguarda resposta. Foto: Getty Images.
  • Segurada de 65 anos espera recurso de pedido de troca de pensão do INSS;

  • Segundo Maria Cristina Silva, a autarquia disse que indeferiu o pedido por ela não ser dependente do marido no Imposto de Renda.

  • De acordo com a assessoria do órgão, o recurso administrativo irá para julgamento.

Maria Cristina Silva, de 65 anos, é dona de casa e moradora do município de Bauru, em São Paulo. A segurada está aguardando resposta do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) para o pedido de troca de pensão de morte.

A dona de casa afirma que recebe o benefício há 30 anos, quando o seu primeiro marido morreu. Contudo, há cerca de dez anos, Maria Cristina teve outra união estável com um companheiro que faleceu em agosto de 2020, por complicações da Covid-19.

Segundo a segurada, o motivo da troca se dá porque a pensão do segundo marido é maior. Contudo, afirma que motivo não é ganância, como pode se pensar, e sim o alto custo de vida no país e a necessidade de remédios e cuidados em meio à pandemia.

Leia também:

Consciente de que não se podem acumular pensões de acordo com as regras da Previdência, a segurada tentou obter a troca. Porém, o INSS indeferiu o pedido.

De acordo com a dona de casa, o órgão não reconheceu sua união estável com o companheiro. Ainda segundo a segurada, ela apresentou o documento do cartório comprovando o matrimônio. Contudo, a autarquia disse que o marido não colocou Maria Cristina como dependente no Imposto de Renda.

A dona de casa entrou com recurso administrativo após indeferimento, mas ainda aguarda resposta.

De acordo com a assessoria de comunicação do INSS, pretende-se agendar uma data para julgamento do recurso apresentado. Porém, o órgão afirma que os processos têm uma ordem cronológica de distribuição para análise de julgamento.

A autarquia diz que a segurada pode acompanhar o progresso do pedido por meio da plataforma Meu INSS, seja pelo site ou por aplicativo, e também através da Central 135.

As informações são do Agora São Paulo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos