INSS: prova de vida volta a ser obrigatória só em maio; órgão já faz recadastramento por celular em alguns casos

Stephanie Tondo
·3 minuto de leitura

O governo federal anunciou nesta terça-feira (dia 23) que a prova de vida do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) já pode ser feita de forma digital por 5,3 milhões de beneficiários. O procedimento foi suspenso nos bancos no início da pandemia e seria retomado em março, mas a suspensão foi prorrogada por mais 60 dias. Com isso a obrigatoriedade voltará em maio.

Aqueles que estiverem aptos a fazer a prova de vida com biometria facial — na qual o segurado usa o celular para tirar uma selfie — serão informados pelo INSS por meio de SMS, pelo portal ou pelo aplicativo Meu INSS. Quem não for chamado para este teste não precisa se preocupar. O pagamento do benefício estará assegurado até maio, quando o recadastramento será retomado nas instituições financeiras. Não é preciso correr às agências bancárias.

Segundo o INSS, quem preferir poderá continuar realizando o procedimento presencial nas agências dos bancos. A prova de vida é necessária para os segurados do INSS que recebem seu benefício por meio de conta-corrente, conta poupança ou cartão magnético.

Para realizar a biometria facial, o INSS usa a base de dados do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Por isso, foram selecionados para o projeto-piloto apenas os segurados que tenham carteira de motorista ou título de eleitor.

O projeto-piloto da prova de vida digital foi feito inicialmente com 500 mil aposentados e pensionistas. A partir desta terça-feira, já está disponível para 5,3 milhões, que são os beneficiários que não realizaram a prova de vida em 2020 ou estavam com bloqueio anterior à pandemia. O INSS tem, ao todo, 36 milhões de beneficiários. A ideia é ampliar o procedimento digital para mais pessoas nos próximos meses.

— Fomos surpreendidos pela pandemia, que nos obrigou a tomar algumas atitudes que tomaríamos, mas tivemos que fazê-lo com mais rapidez. A população ganha pela praticidade e pela segurança. Nós ganhamos pela rapidez, pela agilidade e pela possibilidade de colocarmos os servidores para fazer outros serviços essenciais à população — disse Bruno Bianco, secretário Especial de Previdência e Trabalho.

O presidente do INSS, Leonardo Rolim, explicou durante o anúncio que a prova de vida digital não será feita pelo Meu INSS, mas, sim, pelo portal gov.br.

— Quando acessar o Meu INSS, a pessoa receberá uma orientação sobre a prova de vida digital e será direcionada para o portal gov.br, onde baixará o aplicativo e fará o procedimento. Aconselhamos que pessoas que tenham maior dificuldade de inclusão digital peçam ajuda de um parente, de um filho, mas o processo é simples — garante.

1) Acesse o app Gov.br e clique em "Autorizações". Selecione a autorização marcada como pendente e clique em "Autorizar".

2) Confirme que aceita autorizar, clicando em "Realizar Validação".

3) Clique em "Permitir", para que o aplicativo use a câmera do seu celular.

4) Para confirmar sua identidade, preencha o dado solicitado e clique em "Prosseguir".

5) Leia as instruções e clique em "Entendi".

6) Agora, o app fará a leitura do seu rosto. Posicione o celular como se fosse fazer uma selfie e centralize seu rosto no círculo.

7) Quando terminar todos os movimentos corretamente, o procedimento estará concluído.