Integrante afegã do COI pede ajuda dos EUA para retirar competidoras

·1 minuto de leitura
Símbolo olímpico em Tóquio (Foto: KIM KYUNG-HOON/POOL/AFP via Getty Images)
Símbolo olímpico em Tóquio (Foto: KIM KYUNG-HOON/POOL/AFP via Getty Images)

Por Amlan Chakraborty 

  (Reuters) - Samira Asghari, integrante afegã do Comitê Olímpico Internacional (COI), pediu aos Estados Unidos que ajudem a retirar duas atletas e a equipe técnica de seu país "antes que seja tarde demais" depois que o Taliban assumiu o controle da nação. 

  Durante seu governo de 1996 a 2001 guiado pela lei islâmica, o Taliban proibiu as mulheres de trabalharem, e elas só podiam sair usando burcas e acompanhadas por um parente masculino. As meninas não podiam ir à escola. 

Leia também:

  O Taliban diz que respeitará os direitos das mulheres nos moldes da lei islâmica, mas a ex-capitã de basquete Asghari disse que teme pela segurança das mulheres atletas. 

  "Atletas femininas cidadãs do Afeganistão, técnicos e suas equipes precisam de sua ajuda, precisamos tirá-los das mãos do Taliban... por favor, façam algo antes que seja tarde demais", tuitou Asghari, de 27 anos, na quarta-feira, dirigindo-se à federação de basquete dos EUA, aos Comitês Olímpico e Paralímpico norte-americanos e ao embaixador dos EUA no Afeganistão. 

  Asghari, que já desempenhou vários papeis na administração do esporte afegão e se tornou a primeira integrante de seu país no COI em 2018, não estava disponível de imediato para dar detalhes. 

  Khalida Popal, ex-capitã do time de futebol feminino afegão radicada em Copenhague, pediu às jogadoras que apaguem suas contas de redes sociais, removam identidades públicas e queimem os uniformes para sua própria segurança agora que o país voltou a ser comandado pelo Taliban. 

  Na segunda-feira, o Comitê Paralímpico Afegão disse que dois atletas não poderão participar da Paralimpíada de Tóquio, que começa em 24 de agosto. 

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos