Foragida há 19 anos, integrante do PCC é presa ao tentar tomar vacina contra Covid

Acusada de ser integrante do PCC tem pelo menos dez antecedentes criminais por roubo a banco e tráfico de drogas - Foto: Getty Images
Acusada de ser integrante do PCC tem pelo menos dez antecedentes criminais por roubo a banco e tráfico de drogas - Foto: Getty Images

Nesta segunda-feira (20), uma mulher acusada de fazer parte da facção criminosa PCC, considerada foragida há 19 anos, foi presa na Avenida Marquês de São Vicente, Barra Funda, Zona Oeste de São Paulo, ao tentar tomar vacina.

A prisão, nesta segunda-feira, foi efetuada após a mulher identificada como Maria Beatriz, estar usando a identidade de uma moradora de Goiás, cujo nome é Ana Paula. No entanto, ao se vacinar contra a Covid-19, a criminosa usou o nome verdadeiro, o que chamou a atenção do setor de inteligência.

Após a identificação no posto de saúde, ela foi encontrada, dirigindo o carro na contramão, na Avenida Marquês de São Vicente. A prisão foi realizada pela Polícia Civil e por policiais militares do 5º batalhão. O caso foi encaminhado ao 91º Distrito Policial.

Segundo a polícia, a mulher se envolveu em um roubo a banco em 2004 e foi resgatada por criminosos no hospital onde estava internada.

Na ocasião, os bandidos invadiram o Hospital Regional de Osasco, armados com fuzis, e retiraram a comparsa. Os suspeitos chegaram a atirar em um policial civil para conseguir fugir com a mulher.

A Polícia Militar (PM) informou que a acusada tem pelo menos dez antecedentes criminais por roubo a banco e tráfico de drogas. O marido dela também cumpre pena por roubo a banco e tráfico.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos