Inteligência artificial descobre pintura "escondida" de Pablo Picasso

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·3 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Um retrato de uma mulher nua agachada, escondido sob a superfície de uma pintura de Pablo Picasso, foi revelado por cientistas da Universidade College London (UCL), na Inglaterra. A técnica empregou inteligência artificial (IA), tecnologia de imagem por raio-X e uma técnica avançada de impressão em três dimensões.

Apelidado de “The Lonesome Crouching Nude”, o retrato estava oculto sob outra obra do famoso Período Azul do pintor espanhol há mais de um século. A pintura foi considerada perdida até 2010, quando imagens de raio-X revelaram que ela estava por trás do quadro “A Refeição do Homem Cego”.

“Acreditamos que Picasso provavelmente pintou esta peça com relutância. Era comum em seu trabalho do Período Azul, pois era no início de sua carreira, e os materiais eram caros, daí a necessidade de reaproveitar a tela para elaboração de outros trabalhos”, comenta o especialista em aprendizagem de máquina na UCL Anthony Bourached.

Revelando Picasso

Curiosamente, a imagem da mulher nua agachada também é retratada como uma pintura inacabada ao fundo da famosa “La Vie” de 1903, de Pablo Picasso, exposta no Museu de Arte de Cleveland, nos Estados Unidos. Usando uma combinação de imagens espectroscópicas, IA e impressão 3D, os cientistas conseguiram reproduzir a pintura colorida em tamanho real.

À esquerda: A Refeição do Homem Cego. À direita: a obra La Vie contendo a mulher nua agachada ao fundo (Imagem: Reprodução/University College London)
À esquerda: A Refeição do Homem Cego. À direita: a obra La Vie contendo a mulher nua agachada ao fundo (Imagem: Reprodução/University College London)

Para garantir que as pinceladas fossem fiéis à aparência original da obra, os pesquisadores da UCL desenvolveram um algoritmo para analisar dezenas de pinturas de Pablo Picasso naquele mesmo período, treinando-o para aprender o estilo e a técnica usada pelo artista durante a criação do quadro.

“Espero que Picasso fique feliz em saber que o tesouro que ele escondeu para as gerações futuras foi finalmente revelado, 48 anos após sua morte e 118 anos depois que a pintura foi escondida. Acredito que a mulher no retrato esteja contente em saber que não foi apagada da história”, acrescenta o físico George Cann.

Cinco etapas

A técnica de descoberta do retrato oculto baseou-se em cinco etapas distintas. Na primeira, os cientistas usaram imagens de raio-X para revelar o que estava por baixo da tela original. Logo depois, essa imagem foi processada para separar os traços internos e externos da obra.

Raio-X revelando a pintura escondida (Imagem: Reprodução/University College London)
Raio-X revelando a pintura escondida (Imagem: Reprodução/University College London)

Uma rede neural foi treinada com uma coleção de obras de arte do pintor, tornando-se capaz de imitar o estilo do artista com base em pinturas anteriores. Em seguida, um mapa em alto-relevo do retrato foi gerado para dar textura à peça que ganhou “vida” em uma impressora 3D de última geração.

“É muito emocionante ver uma obra ocultada por tanto tempo. É realmente assustador ver as pinceladas, a cor e a maneira como as luzes refletem nesse trabalho de Picasso e, graças à tecnologia, trouxemos à tona uma pintura que poderia se perder para sempre”, encerra Bourached.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos