Intercambistas na Alemanha e EUA voltarão mais cedo para casa devido a coronavírus

ARTHUR CAGLIARI

BERLIM, ALEMANHA (FOLHAPRESS) - Estudantes de intercâmbio que estiverem na Alemanha e nos Estados Unidos pelo programa internacional AFS (American Field Service) deverão voltar ao seus países de origem, segundo informações divulgadas no site da organização.

"A AFS-EUA e a AFS Alemanha foram instruídas pelo Departamento de Estado dos EUA e pelo Bundestag alemão a informar os participantes americanos e alemães, famílias naturais e famílias anfitriãs da decisão do patrocinador do programa de reduzir o programa NH19 [viagem com início em 2019]. Isso significa que todos os bolsistas, tanto nos EUA quanto na Alemanha, retornarão para casa."

A AFS é conhecida por realizar intercâmbio escolares, durante o período de ensino médio.

As decisões, segundo a organização americana, estão sendo tomadas programa por programa, com base em informações e no interesse dos participantes.

"Em todos os casos, nossos participantes e suas famílias anfitriãs e os pais e responsáveis de nossos participantes são informados imediatamente, assim como todos os funcionários e voluntários da AFS-EUA envolvidos no cuidado e bem-estar de nossos alunos."

A reportagem também teve acesso a um e-mail enviado a famílias alemãs que hospedam estudantes estrangeiros em suas casas.

O documento diz que após discussão interna intensa, a instituição decidiu que todos os programas em andamento no país serão encerrados.

"AFS Alemanha decidiu encerrar mais cedo o programa de hospedagem em andamento no país, com efeito imediato para todos os estudantes", diz o texto.

Ainda segundo o e-mail, apesar de ser recomendado não fazer viagens, há uma preocupação sobre uma falta de horizonte quanto a possibilidade futura de retorno dos jovens as suas casas e por isso eles decidiram dar esse passo.

"Estamos cientes de que esse fim prematuro será difícil para todos e as decepções serão grandes."

Ainda de acordo com a mensagem, a equipe da organização está agilizando os retornos dos estudantes, mas que o procedimento pode tanto ser rápido como levar um prazo maior.

"O voo de volta deverá partir do aeroporto mais próximo de suas casas. A data exata de retorno de seus filhos intercambistas será comunicada o mais rápido possível",diz o documento.

A reportagem entrou tentou contato com a empresa para saber o número de brasileiros que deverão retornar ao país, mas não obteve resposta até o fechamento deste texto.

O número de infectados pela doença na Alemanha explodiu nos últimos dias. Em 48 horas, o total de atingidos foi de algo em torno de 1500 casos para 3000. Atualmente há 4.585 casos confirmados no país, o sexto com maior número de afetados no mundo. O total de mortos pela doença no país chega a 9 pessoas.

Nesta semana, a chanceler alemã, Angela Merkel, disse que ao menos 70% da população do país deverá contrair a doença no longo prazo.

Para tentar conter a propagação e um consequente sobrecarregamento do sistema de saúde, o governo alemão está adotando medidas para que as pessoas permaneçam em suas casas.

Nesta terça-feira (17), todas as escolas de Berlim deverão suspender suas atividades até o fim da Páscoa, em 19 de abril. Museus na cidade também já apresentam em suas portas o aviso que só retornarão após o feriado.

Na capital do país há dificuldade em encontrar papel higiênico e álcool em gel nos supermercados e farmácias. Nos ônibus locais também há um bloqueio para evitar contato de passageiros com motoristas e evitar a disseminação do vírus.