Internações de pacientes por Covid-19 aumentam 110% em quatro semanas em SP

ALINE MAZZO
·2 minuto de leitura
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, 02.06.2020 - Pacientes com Covid-19 na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Municipal Moyses Deutsch (M'Boi Mirim), referência no atendimento às vítimas da pandemia.  (Foto: Lalo de Almeida/Folhapress)
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, 02.06.2020 - Pacientes com Covid-19 na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Municipal Moyses Deutsch (M'Boi Mirim), referência no atendimento às vítimas da pandemia. (Foto: Lalo de Almeida/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O governo de São Paulo registrou 110% no número de intermações de pacientes com Covid-19 nas últimas quatro semanas. Em 21 de fevereiro, eram 13.665 hospitalizados. Atualmente, são 28.638.

Segundo secretário de estado da Saúde, Jean Gorinchteyn, o estado de São Paulo já tem 91,2% dos leitos de UTI para Covid-19 ocupados. Na Grande São Paulo, essa taxa chega a 91,3%.

Segundo o governo do estado, uma das grandes preocupações no momento é a manutenção do fornecimento de oxigênio para São Paulo. Na manhã desta segunda, o governador João Doria (PSDB) e sua equipe se reuniram com fabricantes do produto.

Segundo o secretário, há cerca de 29 mil pessoas internadas com Covid nas unidades da rede estadual. Dessas, cerca de 12 mil estão em UTIs. Em razão da alta de internações, o aumento de demanda por oxigêncio cresceu 45% nas últimas quatro semanas no estado.

O vice-governador Rodrigo Garcia anunciou que a Ambev vai construir usina de oxigênio na região de Ribeirão Preto (313 km de SP), com capacidade de produção de 120 cilindros por dia. A usina deve ficar pronta em dez dias.

Uma força-tarefa foi montada para garantir a distribuição do oxigênio em cilindros. A Copagaz vai auxiliar nessa entrega do insumo às unidades de saúde, principalmente nas cidades que não possuem grande stanques para armazenamento.

O estado completa nesta segunda-feira (22) o oitavo dia na fase emergencial do Plano São Paulo, em que somente serviços emergenciais podem funcionar e o toque de recolher vale das 20h às 5h. A medida, mais restrita, foi tomada para frear a alta de casos, internações e óbitos de Covid-19 em São Paulo.

No último fim de semana, a taxa de isolamento no estado chegou a 47% no sábado e 51% no domingo. O secretário chamou atenção para o aumento de um ponto percentual nos dois dias.