Internação de jovens nas UTIs atinge recorde na pandemia

·2 minuto de leitura
RIO DE JANEIRO, BRAZIL â APRIL 08 : Health workers struggle to save lives in the Intensive Care Unit of the Municipal Hospital Sao Jose, in Duque de Caxias, Rio De Janeiro, on April 8, 2021. Brazil recorded 4,249 deaths from Covid-19 in the last 24 hours, total exceeds 345 thousand deaths according to figures updated by the National Council of Health Secretaries (Conass) and the Ministry of Health on Thursday. (Photo by Fabio Teixeira/Anadolu Agency via Getty Images)
RIO DE JANEIRO, BRAZIL â APRIL 08 : Health workers struggle to save lives in the Intensive Care Unit of the Municipal Hospital Sao Jose, in Duque de Caxias, Rio De Janeiro, on April 8, 2021. Brazil recorded 4,249 deaths from Covid-19 in the last 24 hours, total exceeds 345 thousand deaths according to figures updated by the National Council of Health Secretaries (Conass) and the Ministry of Health on Thursday. (Photo by Fabio Teixeira/Anadolu Agency via Getty Images)

Efeito da pandemia de coronavírus, o número de pacientes mais jovens internados nas UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) ultrapassou o de pessoas com mais de 40 anos no Brasil, segundo levantamento da Associação de Medicina Intensiva Brasileira.

Em março, 52% das internações nas UTIs foram de pessoas com até 40 anos. É o maior percentual já registrado durante a pandemia. Entre setembro do ano passado e fevereiro desse ano, infectados dessa faixa etária representavam 44% do total de pacientes em terapia intensiva.

Leia também

"Os mais jovens ou por terem mais reserva cardíaca e respiratória melhor eles podem demorar mais para ter sintomas, então quando chegam ao hospital já estão em estado mais avançado das doenças", afirmou à TV Globo Suzana Lobo, presidente da Associação de Medicina Intensiva Brasileira.

No mês passado, 68% dos pacientes internados em UTIs precisaram de ventilação mecânica; 39% a mais do que o registrado entre dezembro de 2020 e fevereiro deste ano.

Em contrapartida, apenas 7% dos pacientes com Covid-19 nas UTIs em março tinham mais de 80 anos, queda de 42% na comparação com o acumulado dos três meses anteriores.

"A principal medida [para controlar a pandemia] é diminuir a transmissão respiratória do vírus na comunidade. Ou seja, aquelas medidas que a gente já conhece bem de distanciamento social e de restrição da mobilidade social naquelas áreas em que o sistema de saúde está saturado. Nós precisamos segurar a pandemia, a transmissão fora do hospital", destacou a presidente da Associação de Medicina Intensiva Brasileira.