Internado no Rio com coronavírus, Pezão não tem previsão de alta

Extra
·1 minuto de leitura
Foto: ANTONIO SCORZA/3.2.2020
Foto: ANTONIO SCORZA/3.2.2020

O ex-governador do Rio Luiz Fernando Pezão testou positivo para a Covid-19 e foi internado na madrugada de domingo, 8 de novembro, no Hospital da Unimed-Rio, na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio, depois de se sentir mal. Ele estava em prisão domiciliar em sua casa, na cidade de Piraí, no Sul Fluminense.

A direção da unidade informou que Pezão chegou ao hospital se queixando de dificuldade para respirar. Até a noite desta segunda-feira, ele estava internado em um leito de uma unidade não intensiva, com quadro de saúde estável, mas sem previsão de alta.

Com tornozeleira eletrônica desde dezembro do ano passado, o ex-governador do Rio não poderia sair de Piraí, onde mora, sem autorização judicial, mas precisou ser transferido, como contou em primeira mão a jornalista Bela Megale em seu blog no site do jornal O Globo. Os advogados de Pezão anexaram ao processo um boletim médico que atestava a necessidade da transferência, e o ex-governador continuou com o aparelho.

Segundo Bela Megale, a necessidade de tirar a tornozeleira eletrônica foi discutida, mas Pezão permaneceu com o dispositivo.

Pezão foi preso durante o exercício do mandato, em novembro de 2018. As denúncias contra ele envolvem crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa. Pezão é acusado, junto de outras 14 pessoas, incluindo o ex-governador Sérgio Cabral, seu antecessor, e dois ex-secretários, também presos, de ter recebido vantagens indevidas que somam R$ 39,1 milhões, em valores atualizados. Em dezembro do ano passado, Pezão deixou a prisão, seguindo medidas cautelares, e passou a responder em liberdade ao processo no qual é réu.