Internos da antiga Febem brilham em Olimpíada da Matemática

Suzana Correa*
Vitor (nome fictício), de 17 anos, está na Fundação Casa por delitos como tráfico e ganhou mensão honrosa na Olimpíada de Matemática

SÃO PAULO - Seis jovens que cumprem medidas sócio-educativas na Fundação Casa — antiga Febem — alcançaram resultados surpreendentes na Olimpíada Brasileira de Matemática de Escolas Públicas de 2019, que desde 2017 também inclui colégios particulares. Com idade média de 17 anos, cinco garotos e uma garota receberam menção honrosa na competição, que contou com 18 milhões de alunos de todo o país.

E apenas 0,2% desse total recebeu a honraria, prêmio mais importante depois das medalhas de ouro, prata e bronze. Os adolescentes — os nomes utilizados no texto são fictícios - estão internados na Fundação Casa por roubo, homicídio ou tráfico de drogas.

— Nunca imaginei um resultado assim, ainda mais depois de tudo o que passei na vida. O que falta é a gente saber o que é bom para a gente - diz Aline, 17 anos.

*Estagiária, sob orientação de Flávio Freire