Interpol diz que metaverso abre novo mundo de crimes online

Por Dina Kartit e Elizabeth Howcroft

LONDRES (Reuters) - A Interpol disse estar se preparando para o risco de ambientes imersivos online - o metaverso - criarem novos tipos de crimes cibernéticos e permitir que crimes os atuais ganhem escala.

Os países membros da Interpol levantaram preocupações sobre como se preparar para possíveis crimes no metaverso, disse Madan Oberoi, diretor executivo de tecnologia e inovação da agência.

"Alguns dos crimes podem ser novos para este meio, alguns dos crimes existentes serão habilitados pelo meio e levados a um novo nível", disse ele.

Phishing e golpes podem ser praticados de forma diferente quando a realidade aumentada e a realidade virtual estão envolvidas, disse Oberoi. As questões de segurança infantil também foram uma preocupação, disse ele.

"Se um grupo terrorista quiser atacar um espaço físico, eles podem usar esse espaço para planejar, simular e lançar seus exercícios antes de atacar", disse ele.

No início deste mês, a agência de aplicação da lei da União Europeia, Europol, disse que grupos terroristas podem no futuro usar mundos virtuais para propaganda, recrutamento e treinamento. Os usuários também podem criar mundos virtuais com "regras extremistas", disse o documento.

Se os ambientes do metaverso tiverem interações dos usuários no blockchain, "isso pode permitir seguir tudo o que alguém faz com base em uma interação com eles – fornecendo informações valiosas para quem pratica perseguição ou extorsão", disse a Europol.

(Por Elizabeth Howcroft e Dina Kartit)