Intersolidário arrecada quase 15 toneladas de alimentos com ajuda de escolas do Rio

·4 minuto de leitura

Com 18 escolas participantes e um resultado de quase 15 toneladas de doações, o sucesso do Intersolidário 2021 pode ser traduzido em números. O projeto, realizado pelo O GLOBO em parceria com o Sesc RJ, conheceu seus vencedores nesta semana, e o nível de solidariedade surpreendeu até os mais otimistas. O Santa Mônica Centro Educacional planejava arrecadar duas toneladas de alimentos, mas acabou superando sua meta em mais de 50%, o que tornou a instituição campeã da edição.

— Mesmo ao final da contagem, os alunos continuam trazendo os alimentos. Porque foi uma sementinha plantada, e o prêmio para eles era simplesmente ajudar o outro. Foi de coração mesmo, estou orgulhoso dos meus alunos e de toda a comunidade escolar — afirma Daniel Ramos, professor e treinador-chefe da natação do Santa Mônica.

A escola arrecadou, no total, 3.232 quilos de alimentos e vai usar todo o prêmio em dinheiro conquistado com o 1º lugar para comprar materiais esportivos, que serão doados para ONGs que incentivam a prático de futebol e judô.

Nesta edição, as escolas precisaram superar os desafios da crise econômica e sanitária do país para despertar o espírito da solidariedade em seus alunos. Supervisor da rede na parte pedagógica e esportiva, Luiz Cezar parabeniza todas as escolas que toparam o desafio.

— Fico feliz de outras escolas participarem, porque não temos essa coisa de inimigo, somos adversários dentro de uma competição em que todos ganham. Mas as dificuldades foram grandes devido ao ensino híbrido e o curto espaço de tempo para a arrecadação. Então, todos tiveram que colocar a mão na massa, porque a união faz a força. Quero agradecer especialmente à família Santa Mônica — disse ele.

Entre as centenas da alunos que contribuíram para o sucesso da arrecadação da instituição, uma menina da unidade da Taquara se destacou. Aluna do maternal, Julia Rodrigues, de 2 anos, gravou um vídeo para incentivar seus familiares a contribuir com doações. O pedido da criança foi atendido e, sozinha, ela garantiu mais de 60 kg de alimentos para a sua escola.

— A gente ficou muito feliz com esse engajamento, tivemos neste ano mais que o dobro de escolas que participaram no ano passado. São instituições que participavam do modelo tradicional do Intercolegial, e que entraram nesse movimento com a gente em prol da solidariedade. O time do Inter vem ajudando a contribuir com aqueles que precisam. Foi uma junção de frentes muito feliz que trouxe esse resultado de mais de 14 toneladas de alimentos arrecadados — conta Andressa Amaral, gerente de projetos especiais da Editora Globo.

As três primeiras colocadas na gincana de arrecadação de alimentos serão premiadas com um valor em dinheiro destinado a benfeitorias nas instituições, além de um espaço publicitário no jornal O GLOBO. Toda a doação arrecadada pelas escolas será direcionadas ao banco do programa de segurança alimentar Mesa Brasil Sesc RJ.

Em segundo lugar por muito pouco, a escola Camões-Pinochio conseguiu 3.010 quilos de doação e usará o prêmio para investir em uniformes de jogo e treino.

— Sendo uma escola de unidade única e chegar a essa colocação, passando de três toneladas de alimentos, para gente é grandioso. O mais legal é que os alunos entenderam a questão primordial que era poder ajudar outras pessoas. Trabalhamos com eles que, independentemente da classificação geral, é a valorização do trabalho construído que importa — afirma Fernando Barreto, coordenador de educação física e de esportes da escola localizada em Jacarepaguá.

Além dos prêmios, a participação no Intersolidário também conta pontos para o quadro geral do Intercolegial, que deve retornar com as competições neste segundo semestre. O concurso tem certificado de autorização secap/me n.º 03.012843/2021 - processo n.º17377.001512/2021-51. Terceiro colocado na competição, o Instituto Loide Martha comemora os 2.705 quilos de alimentos arrecadados:

— É um privilégio poder fazer pare dessa campanha. O clima é de gratidão e felicidade, por poder contribuir um pouco com aqueles que necessitam. A gente entende que melhor é dar do que receber. Somos uma escola da Baixada, de uma unidade só, mas bastante engajada nessa dobradinha esporte e educação. E essas duas coisas não existem sem a solidariedade — disse Itiel Rodrigues, coordenador de esportes da escola de Duque de Caxias.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos