Invasão da Rússia deixou mais de 40 mil civis ucranianos mortos ou feridos, diz Ucrânia

Mais de 40 mil civis ucranianos foram mortos ou feridos desde o início da invasão da Rússia, e cerca de 3 milhões vivem agora sob ocupação russa, disse nesta terça-feira o governo ucraniano, destacando tanto as consequências da guerra quanto os difíceis desafios que Kiev enfrenta enquanto tenta recuperar seu território.

Dura batalha: Exército de Kiev perde posições, e vidas, contra Rússia no Leste

Assista: Videográfico explica conflito iniciado com invasão russa em fevereiro

Custo: Ucrânia estima em mais de R$ 2,5 trilhões o impacto econômico da guerra

Embora as forças de Moscou continuem a sofrer baixas peadas, a Ucrânia enfrenta duras escolhas enquanto luta para manter suas posições defensivas na região do Donbass, na região Leste, perante o incessante bombardeio russo.

Legado perigoso: Minas explosivas já infestam 300 mil km² e levarão décadas para serem limpas

Representante de grupo antiminas: Foco na guerra da Ucrânia ainda é militar, e não humanitário

Zelensky: Quase 20% do território da Ucrânia está sob controle russo

O presidente Volodymyr Zelensky disse que o Exército ucraniano poderia decidir recuar das linhas de frente nas cidades de Sievierodonetsk e Lysychansk, descrevendo-as como “cidades mortas” arrasadas pelos ataques russos e quase sem civis. Mas um recuo em Sievierodonetsk, onde autoridades dizem que os duros confrontos de rua continuam nesta terça-feira, tornaria ainda mais custosas as tentativas futuras de retomar a cidade, acrescentou Zelensky.

Falando com um grupo de jornalistas na quinta-feira, Zelensky afirmou que, se a Rússia tivesse êxito em seu objetivo de controlar o Donbass, representaria um desafio existencial à Ucrânia, porque daria a Moscou uma base para lançar "constantes mísseis no centro da Ucrânia". Mas ele prometeu que não deixaria isso acontecer, dizendo à nação, em um discurso no fim da noite: "O Donbass ucraniano resiste. Resiste de forma firme."

Guerra na Ucrânia completa cem dias sem fim à vista: O que pode encerrar o conflito?

Um sinal de esperança para o Exército ucraniano é a chegada de sistemas de armas poderosos do Ocidente, que os EUA e seus aliados esperam que ajude a conter a vantagem do poder de fogo russo.

Enquanto a Ucrânia corre para treinar seus soldados nessas novas armas mais sofisticas, elas já podem estar tendo um efeito no Mar Negro, onde a Marinha ucraniana disse na segunda-feira que os navios russos recuaram mais de 112 km da costa do país, uma situação que é atribuída à chegada dos sistemas de mísseis antinavio Harpoon, da Dinamarca.

Alerta dos EUA: Rússia busca compradores para grãos saqueados da Ucrânia

Mas os russos ainda têm um domínio sobre o mar, onde suas forças navais impuseram um bloqueio para estrangular a economia ucraniana, impedindo que o país exporte milhões de toneladas de grãos necessários em todo o mundo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos