Invasor ao Capitólio vestindo casaco estampado com 'Camp Auschwitz' é preso

Extra
·1 minuto de leitura

Um homem que apareceu vestindo um casaco estampando "Camp Auschwitz" durante a invasão de apoiadores de Donald Trump ao Congresso na última semana foi preso na Virgínia nesta quarta-feira, dia 13, segundo a imprensa norte-americana.

Segundo a emissora "CBS", a informação foi confirmada por uma fonte envolvida com o caso. Contra Robert Keith Packer, de 56 anos, foi expedido um mandado por autoridades federais, de acordo com registros do tribunal, acusando-o de entrar ilegalmente em uma área restrita e causar ato violento e conduta desordenada nos domínios do Capitólio.

Fotos da roupa de Robert repercutiram nas redes sociais em razão da menção ao campo de extermínio contra judeus na Polônia, Auschwitz, onde mais de 1 milhão de pessoas, principalmente judeus, foram mortas durante a ocupação nazista. Internautas demonstraram revolta pelo uso do casaco com tal referência, vista como um símbolo anti-semita. A frase "Trabalho traz liberdade", relacionada à expressão Arbeit Macht Frei, acima dos portões de Auschwitz, também aparece no moletom dele.

Mais de 70 pessoas já enfrentam várias acusações, como agressão e violações de armas, referentes ao ataque de 6 de janeiro, que deixou cinco mortos, incluindo um policial. Investigações estão em andamento envolvendo crimes de conspiração de atos hediondos no Capitólio, anunciou o procurador interino dos EUA para o Distrito de Columbia, Michael Sherwin, na terça-feira.