Investidora pode perder até R$ 16 trilhões por causa do clima

·2 minuto de leitura
A Vanguard, com US$ 8,1 trilhões (R$ 42 trilhões) em ativos, não consegue lidar com o clima por meio de seus investimentos em relação aos seus maiores rivais, incluindo a BlackRock, disse o Universal Owner. (Getty Images)
  • Vanguard pode perder valor astronômico por não ter se adaptado ao ‘novo’ mundo

  • Companhia ‘ainda não entendeu sua posição’, segundo relatório

  • Empresa de investimento gere mais de R$ 42 trilhões pelo mundo

O Vanguard Group, um dos maiores gestores de dinheiro do mundo, diz que se preocupa "profundamente" com o impacto de longo prazo das mudanças climáticas. Ela se juntou a um grupo de investidores que anunciou uma meta de emissões zero líquidas e supervisiona fundos de pensão para empresas de tecnologia, onde os funcionários têm uma longa tradição de consciência ambiental.

Leia também:

Mas a Vanguard, com US$ 8,1 trilhões (R$ 42 trilhões) em ativos, não consegue lidar com o clima por meio de seus investimentos em relação aos seus maiores rivais, incluindo a BlackRock, disse o Universal Owner. De acordo com sua análise, a Vanguard tem apenas um funcionário para monitorar as questões climáticas para cada 300 empresas de seu portfólio e não tem a política de alienar alguns fundos de produtores de carvão. O grupo também disse que o gestor de ativos emprestou milhões de dólares para empresas de areias betuminosas, cujos projetos são os mais prejudiciais para o combate ao aquecimento global.

A Vanguard pode perder US$ 3 trilhões (R$ 16 trilhões) até 2050 de seus investimentos em ações nos EUA por não agir sobre a mudança climática, disse a Universal Owner em um relatório divulgado em 22 de setembro. “A Vanguard não entende sua posição no mercado”, disse Thomas O’Neill, diretor da Universal Owner, em uma entrevista. “Deve ser focado em administrar todo o mercado”, disse ele, referindo-se à como os gestores de dinheiro votam nas resoluções dos acionistas e conversam com as empresas para persuadi-los a mudar seus hábitos.

“Suas decisões sobre onde alocar capital e quais resoluções dos acionistas apoiar têm uma influência tectônica na economia real”, disse a Universal Owner no relatório. Com escritórios em Londres e Edimburgo, a companhia diz que busca mudar sistematicamente o setor financeiro nas questões de mudança climática e biodiversidade por meio de análises baseadas em dados.

Gestora de fundos precisa focar na 'descarbonização'

A Universal Owner disse que as corporações lucram com projetos intensivos em carbono porque a maioria dos custos são arcados por terceiros e espalhados globalmente. “Mas se a Vanguard detém participação nessa empresa, esses custos não são simplesmente arcados por terceiros, mas em um grau significativo, pelo restante de seu portfólio”, disse a Universal Owner. “Em princípio, isso significa que proprietários universais como a Vanguard têm um interesse profundo na descarbonização.”

A Vanguard, sediada em Malvern, Pensilvânia, disse em resposta ao relatório que tem uma “equipe experiente e crescente de administração de investimentos” que “busca gerenciar e identificar riscos relacionados ao clima” falando com executivos e conselhos por meio de votação por procuração. “Fizemos um esforço conjunto para divulgar ainda mais nossos compromissos com as empresas sobre os riscos das mudanças climáticas e informar os investidores sobre nossa justificativa para votos importantes em propostas de acionistas ambientais e relacionadas ao clima durante a temporada de procuração deste ano”.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos