Investidores processam corretora de criptomoedas por não conseguirem sacar recursos

Letycia Cardoso

RIO - Vários clientes que aplicaram recursos na corretora de criptomoedas Genbit estão processando a empresa por não conseguirem sacar os recursos. Com promessa de ganhos de até 15% ao mês, a corretora oferecia opções de investimento que iam de R$ 700 a R$ 26.500. A Comissão de Valores Mobiliários (CVM, órgão que regula o mercado financeiro) abriu um processo administrativo contra a empresa, que não estava habilitada a ofertar publicamente títulos ou contratos de investimento coletivo.

No Túmulo:Cliente pede exumação de dono de corretora que levou senhas de acesso a US$ 250 milhões Uma investidora, que não quer ser identificada, conta que aplicou R$ 3 mil no início do ano, mas até agora não conseguiu sacar a quantia. Segundo ela, a empresa sugeriu a troca por treeptoken — uma criptomoeda recém-criada, ainda sem liquidez, negociada apenas pela Genbit— e prometeu honrar o pagamento em fevereiro de 2020:— Eu sabia que era um mercado de risco e por isso quis experimentar, participando com uma pequena quantia. Mas sei de gente que vendeu bens, como carro, para aplicar.

Viu isso?Homem mais rico do Brasil, Jorge Paulo Lemann compra ações em IPO da XPSegundo ela, os investidores colocavam dinheiro na corretora, que era trocado por bitcoins, usados depois para comprar pacotes no clube de vantagens da Bitgen para alcançar o rendimento prometido. Além disso, os participantes recebiam uma bonificação quando traziam novos integrantes e ainda participavam de treinamentos.— Participei inclusive de treinamentos exclusivos para mulheres. Eles chamavam de marketing de relacionamento — conta a investidora.

Multa diária de R$ 5 mil

Em março, a CVM emitiu comunicado informando que tanto a Zero10 Club, antigo nome da Genbit, e Gabriel Tomaz Barbosa, proprietário da corretora, não estavam habilitados a ofertar publicamente títulos ou contratos de investimento coletivo. Mesmo assim, continuou a receber reclamações sobre a empresa.Por isso, em junho, a autarquia aplicou uma multa à Genbit de R$ 5 mil por dia e abriu um processo administrativo. Como até novembro a empresa não havia apresentado uma proposta real sobre o que faria para ressarcir os clientes, a CVM intimou a Genbit a apresentar uma defesa, que irá a julgamento.

Discriminação:Algoritmos reproduzem machismo e racismo 'aprendidos' de humanosA Genbit afirma não haver problemas com os saques, tendo ocorrido apenas uma “remodelação na atividade de seu fluxo”. A corretora diz ainda que “os gargalos serão resolvidos em até 90 dias.”O diretor da Trader Brasil Investimentos, Flavio Lemos, adverte que é proibido no Brasil oferecer rentabilidade futura e aconselha quem deseja investir a procurar empresas ou pessoas físicas registradas na CVM. Ele ainda compara na rentabilidade oferecida pela Genbit com a taxa básica de juros (Selic) do país:— Deve-se desconfiar se a esmola é muito grande. A Selic devolve cerca de 0,38% ao mês. Sendo assim, o valor de 15% prometido é infinitamente maior. As pessoas são gananciosas e ingênuas ao mesmo tempo.