Investigado, Bolsonaro volta a falar em ultimato para 'Praça dos Três Poderes'

·1 minuto de leitura

Em discurso durante ato na Esplanada dos Ministérios, o presidente Jair Bolsonaro voltou a adotar tom de intimidação e mandar recados à Praça dos Três Poderes, onde fica a sede do Supremo Tribunal Federal (STF). Ele disse que não se pode aceitar que “uma pessoa específica continue barbarizando”.

— Não podemos continuar aceitando que uma pessoa especifica na região dos Três poderes continue barbarizando — disse. — Não queremos ruptura, brigar com poder nenhum. Mas não podemos admitir que uma pessoa coloque em risco a nossa liberdade — completou.

Em outro momento, Bolsonaro disse que era um "ultimato" para a Praça dos Três Poderes, onde estão localizados, além do Palácio do Planalto, o Congresso Nacional e o STF.

— É um ultimato para todos na Praça dos Três Poderes. Todos devemos nos curvar à nossa Constituição — disse, completanto: — Nós todos aqui na Praça dos Três Poderes juramos respeitar a nossa Consitutição. Quem age fora dela, se enquadra ou pede para sair.

Durante o discurso, Bolsonaro também mirou governadores, com os quais têm um histórico de confronto principalmente após as medidas de distanciamento social adotadas na pandemia da covid-19.

— Muitos de vocês sentiram o peso da ditadura. Alguns governadores e prefeitos simplesmente ignoraram preceitos constitucionais. Muitos foram obrigados a ficar em casa. Vocês perderam o direito de ir e vir, ao trabalho. Imagine um desses ocupando a minha cadeira o que imporia à população — disse Bolsonaro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos