Investigado no STF, Roberto Jefferson compra moto de R$ 110 mil, sua 9ª Harley; vídeo

·3 minuto de leitura

RIO — O presidente de honra do PTB, o ex-deputado federal Roberto Jefferson, comprou nesta sexta-feira (25) sua 9ª motocicleta da marca Harley-Davidson. Trata-se de uma Road King Special 2021, cujo modelo mais barato dessa linha custa R$ 110,1 mil. O ex-parlamentar coleciona motos há 13 anos.

A loja que fez a venda da moto publicou a entrega do veículo para Jefferson em suas redes sociais. As imagens mostram o ex-deputado dentro do estabelecimento, sem máscara e comemorando. Enquanto vibrava, ele tocava um sino e erguia os braços.

— Viva a Harley, viva a liberdade! É isso, é o rugido da liberdade! — disse Jefferson.

O estabelecimento, por sua vez, parabenizou Jefferson pela aquisição.

— Felicidades com sua nova máquina de liberdade, a Rio H-D tem o prazer de fazer parte desta linda trajetória. Ótimas viagens e passeios, Bob Jeff! Vamos rodar e comemorar — diz a publicação da loja.

Procurado pelo GLOBO, Jefferson não deu retorno até a publicação da reportagem.

Investigação

O ex-parlamentar é alvo do inquérito das fake news no Supremo Tribunal Federal (STF). De acordo com as investigações, o petebista recebeu repasses do próprio partido no valor de quase R$ 1,3 milhão desde 2017. Ele é suspeito de usar recursos do fundo partidário para produção e disseminação de notícias falsas nas redes sociais.

O inquérito está sob relatoria do ministro Alexandre de Moraes, que já solicitou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) o envio de dados da prestação de contas da legenda dos últimos cinco anos. Em um levantamento do GLOBO com base em dados disponibilizados pelo TSE, é possível identificar nas despesas cadastradas pelo partido que Jefferson recebeu em média R$ 300 mil por ano para gastos descritos como “serviços técnico-profissionais”.

As investigações sobre a possível atuação de Roberto Jefferson na produção de desinformação avançaram no Supremo após uma provocação da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). O Conselho Federal da instituição enviou a Moraes uma petição em que acusa Roberto Jefferson de usar suas redes sociais para divulgar notícias falsas.

"A disseminação de notícias falsas na condição de presidente do PTB, ou seja, sem que se ocupe qualquer cargo eletivo ou mesmo exerça atividade empresarial, revela verdadeiro esquema de financiamento público, pois decorrente das verbas recebidas pela referida agremiação política por meio do Fundo Especial de Assistência Financeira aos Partidos Políticos", afirmou a OAB.

Bolsonarismo

Jefferson foi um dos protagonistas do escândalo do Mensalão, em 2005, e posteriormente acabou condenado no Supremo por corrupção. Antes, havia sido aliado do ex-presidente da República e atual senador Fernando Collor de Mello (PROS-AL).

Nos últimos anos, ele foi um dos políticos que mais se aproximou do governo Jair Bolsonaro, assim como seu partido. Desde então, Jefferson passou a adotar uma retórica alinhada ao bolsonarismo.

A guinada acompanhou a aproximação de Bolsonaro a partidos do chamado Centrão. O marco da nova roupagem foi uma live, em abril de 2020, em que Roberto Jefferson atacou o então presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). O vídeo foi compartilhado por Bolsonaro. Desde então, o ex-deputado virou ídolo bolsonarista por postagens de apoio ao presidente e ataques ao STF.

A aproximação foi tanta que Jefferson passou a integrar comitivas presidenciais. Em 2020, seu partido, o PTB, chegou a convidar Bolsonaro para se filiar à legenda.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos