Investigado pelo MPF, filho do ministro da Saúde participa de entrega de moradias com Bolsonaro e turbina candidatura a deputado federal

Duas semanas depois do GLOBO revelar que o filho do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, Antônio Cristovão Neto, conhecido como Queiroguinha (PL),tem usado seu acesso livre ao gabinete do pai em Brasília para intermediar demandas de municípios da Paraíba, o estudante de medicina e pré-candidato a deputado voltou a participar de uma cerimônia oficial do governo nesta sexta-feira. E desta vez, em um ato com o presidente da República, que chegou a citar o investigado e pré-candidato.

Jair Bolsonaro foi até João Pessoa (PB) para entregar residências no habitacional Canaã I e II. Ao final do seu discurso, Bolsonaro agradeceu Queiroguinha pela presença.

— Agradecer a presença também do Queiroguinha [...] — disse Bolsonaro citando nominalmente diversas autoridades presentes.

No palco, reservado para as autoridades, Queiroguinha sentou atrás de Bolsonaro e em determinado momento chegou a sussurrar em seu ouvido. Na abertura do evento, ele também foi citado pelo prefeito de João Pessoa, Cícero Lucena.

— Presidente Jair Bolsonaro, ministro da Defesa, Paulo Sergio Nogueira de Oliveira, ministro da Saúde, o conterrâneo, Marcelo Queiroga [...] e aos demais, Queiroguinha, também aqui presente - disse o prefeito.

Segundo relatos de prefeitos, o pré-candidato a deputado de 23 anos, filiado ao mesmo partido do presidente, tem percorrido cidades do interior com promessas que vão de recursos para a compra de aparelhos de raio-X a ambulâncias. Como O GLOBO mostrou, o estudante esteve ao lado do pai em pelo menos cinco cerimônias nos últimos três meses e sentou-se à mesa reservada a autoridades. Em uma oportunidade, com a ausência do pai, ele chegou a ser anunciado como representante do ministério e discursou ao público presente.

Depois das revelações feita pelo GLOBO, o Ministério Público Federal (MPF) da Paraíba abriu uma investigação preliminar para apurar possível tráfico de influência e usurpação de função pública por parte de Queiroguinha.

A Procuradoria-Geral da República (PGR) já havia recebido uma representação em que o PSB que o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, seja investigado por suspeita de improbidade administrativa e infração à legislação eleitoral. O pedido também se baseia nas reportagens do GLOBO.

O caso Queiroguinha

O GLOBO revelou, em reportagens recentes, que o estudante de medicina tem usado seu acesso livre ao gabinete do pai em Brasília para intermediar demandas de municípios da Paraíba, estado pelo qual planeja se eleger deputado federal em outubro. Segundo relatos de prefeitos, o pré-candidato de 23 anos tem percorrido cidades do interior com promessas que vão de recursos para a compra de aparelhos de raio-X a ambulâncias. Ele chegou a levar três governantes municipais à sede do Ministério da Saúde, em Brasília, para se reunirem com Queiroga. O grupo saiu de lá com R$ 1,250 milhão previstos para seus municípios.

Além de intermediar pedido de prefeitos, Queiroguinha tem sido levado pelo pai a eventos do Ministério da Saúde em que são anunciadas liberações de dinheiro público a municípios paraibanos. Foram ao menos cinco cerimônias nos últimos três meses. Em outras duas ocasiões, em que o ministro não pôde comparecer, o pré-candidato a deputado federal foi anunciado como representante da pasta e chegou a discursar ao público presente. O estudante de medicina também tem recebido tratamento de destaque em eventos de outras pastas do governo de Jair Bolsonaro, como Desenvolvimento Regional, Turismo e Infraestrutura.

Além de intermediar a ida de prefeitos ao Ministério da Saúde, Queiroguinha tem usado um outro expediente para turbinar a própria campanha: se apresentar como representante do governo federal em agendas na Paraíba. Em 19 de abril, o estudante de 23 anos participou de um ato em Sumé, no interior da Paraíba. Na ocasião, foi anunciado o repasse de R$ 12 milhões da Saúde a municípios da região do Cariri, sul do estado. Queiroguinha gravou uma entrevista a veículos locais em que indica ser integrante do Poder Executivo, mesmo sem exercer cargo público.

— Nós, enquanto representantes do governo federal, precisamos ter um olhar voltado com muita sensibilidade para essa região, que tem um grande potencial na área social, na área educacional e nos recursos hídricos — afirmou o filho do ministro da Saúde em entrevista divulgada pela Radiocidade Sumé.

Tanto Queiroguinha como seu pai, Marcelo Queiroga, tem evitado comentar as reportagens e dito apenas que “respeitam a legislação eleitoral”.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos