Investigadores também questionam ternos dados a candidato francês Fillon

O candidato conservador à presidência da França, François Fillon

Os investigadores franceses que questionam os supostos empregos fictícios do candidato conservador François Fillon também incluirão em suas investigações ternos de luxo recebidos pelo político, informou nesta quinta-feira à AFP uma fonte judicial.

O Ministério Público financeiro ampliou a investigação dos juízes de instrução a um suposto tráfico de influências, segundo essa fonte. Um veículo da mídia francesa revelou no domingo que um "mecenas" pagou em fevereiro a compra de dois ternos de uma elegante alfaiataria de Paris por um valor de 13.000 euros.

"Um amigo me deu de presente os ternos em fevereiro. E daí?", reagiu François Fillon, denunciando uma intrusão em sua vida privada para tentar afastá-lo da corrida presidencial antes do primeiro turno das eleições, em 23 de abril. Depois afirmou que esses presentes não tiveram "nada a ver" com política.

Aos dois ternos presenteados em fevereiro se somariam, segundo o Journal du Dimanche, cerca de 35.500 euros "pagos em dinheiro" na mesma alfaiataria, Arnys, totalizando cerca de 48.500 euros desde 2012.

Os investigadores tentarão determinar quem é o misterioso comprador e examinar seus vínculos com o candidato, que é deputado de Paris.