Ipec mostra Lula com 44% e Bolsonaro com 31%; vantagem do petista no 2º turno vai a 16 pontos

Lula e Bolsonaro aparecem em telão durante debate eleitoral na tevê

Por Maria Carolina Marcello

BRASÍLIA (Reuters) -O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) manteve os mesmos 44% de apoio na disputa pelo Palácio do Planalto, enquanto o presidente e candidato à reeleição Jair Bolsonaro (PL) viu seu percentual de intenção de voto oscilar um ponto para baixo a 31%, mostrou pesquisa do instituto Ipec nesta segunda-feira.

Pesquisa divulgada na semana passada trazia Lula com 44% e Bolsonaro com 32%, mesmos percentuais verificados também em levantamento do instituto divulgado em 15 de agosto.

Em um eventual segundo turno entre Lula e Bolsonaro, a vantagem numérica do petista foi a 16 pontos percentuais, ante 13 pontos verificados na pesquisa anterior. O petista, que na semana passada tinha 50%, variou para 52%, contra 36% de Bolsonaro, que antes tinha 37%. Ambos oscilaram dentro da margem de erro de 2 pontos.

A sondagem desta segunda-feira também registrou pouca movimentação no chamado segundo pelotão. O ex-governador Ciro Gomes (PDT) e a senadora Simone Tebet (MDB) oscilaram um ponto percentual para cima cada. O presidenciável do PDT saiu de 7% para 8%, enquanto a parlamentar passou de 3% para 4%. Ambos seguem empatados dentro do limite da margem de erro.

O Ipec apurou ainda que aqueles que pretendem votar em branco ou nulo no primeiro turno são 6%, ante 7%. Indecisos ou aqueles que não responderam são 5%, contra 6% na pesquisa passada.

Segundo o Ipec, Lula tem melhor desempenho entre os entrevistados com renda de até um salário mínimo, entre beneficiários de programa de distribuição de renda do governo federal e naqueles que estudaram somente até o ensino fundamental.

Bolsonaro se sai melhor entre o eleitorado masculino, com evangélicos e entre aqueles com renda superior a 5 salários mínimos.

Na pesquisa, a avaliação positiva de governo ficou em 30%, ante 31% na semana passada. Para 25%, a gestão é regular (contra 24% na anterior), e 43% avaliam a administração como negativa, mesma fatia apurada na pesquisa anterior.

Liderado por ex-integrantes do Ibope Inteligência, o Ipec entrevistou presencialmente 2.512 eleitores entre 2 e 4 de setembro.

(Edição de Pedro Fonseca)