Ipec em São Paulo: Haddad tem 34%, Tarcísio e Rodrigo ficam no empate técnico

Ipec em São Paulo: Haddad segue na liderança com 34%, enquanto Tarcísio tem 22% e Rodrigo Garcia tem 18%. (Foto: Montagem/Departamento de Artes/Yahoo Notícias)
Ipec em São Paulo: Haddad segue na liderança com 34%, enquanto Tarcísio tem 22% e Rodrigo Garcia tem 18%. (Foto: Montagem/Departamento de Artes/Yahoo Notícias)

A pesquisa do Ipec — ex-Ibope —, divulgada nesta terça-feira (20), apontou que segue na liderança da corrida pelo governo de São Paulo o candidato Fernando Haddad (PT), com 34% das intenções de voto. Atrás, Tarcísio de Freitas (Republicanos), tem 22%, e Rodrigo Garcia (PSDB), 18%. Os dois estão empatados tecnicamente.

Os números são da pesquisa estimulada, na qual o entrevistado é apresentado à lista com os nomes dos candidatos.

A coleta das entrevistas pelo Ipec começou no dia 17 e foi encerrada em 19 de setembro. O levantamento ouviu 2.000 pessoas presencialmente. O índice de confiança da pesquisa, segundo o instituto, é de 95%. A sondagem foi registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sob o número SP-05582/2022 e custou R$ 155.664,42.

Veja as últimas pesquisas eleitorais para presidente:

Este foi o primeiro levantamento do instituto após o debate entre os candidatos a governador promovido por Folha de S.Paulo, UOL e TV Cultura no último dia 13.

O evento foi marcado por uma tentativa de intimidação do deputado Douglas Garcia (Republicanos-SP), da comitiva de Tarcísio, à jornalista Vera Magalhães. Após o incidente, Tarcísio ligou para Vera condenando o comportamento do colega de partido.

SEGUNDO TURNO

Nas simulações de segundo turno, Haddad vence tanto Tarcísio quanto Rodrigo. Já na disputa entre o governador paulista e o ex-ministro da Infraestrutura, Rodrigo tem 33% contra 32% do ex-ministro do governo Bolsonaro. Os dois estão tecnicamente empatados na simulação de segundo turno.

Haddad x Tarcísio

  • Fernando Haddad (PT): 44%

  • Tarcísio de Freitas (Republicanos): 34%

  • Brancos e nulos: 14%

  • Não sabe: 7%

Haddad x Rodrigo

  • Fernando Haddad (PT): 41%

  • Rodrigo Garcia (PSDB): 33%

  • Brancos e nulos: 17%

  • Não sabe: 8%

Rodrigo x Tarcísio

  • Rodrigo Garcia (PSDB): 33%

  • Tarcísio de Freitas (Republicanos): 32%

  • Brancos e nulos: 21%

  • Não sabe: 15%

REJEIÇÃO

Apesar de aparecer na liderança das intenções de voto, Haddad também é o candidato com maior rejeição. Segundo o levantamento, 34% dos entrevistados afirmaram que não votarão no petista de jeito nenhum, um aumento de quatro pontos em relação à última pesquisa do Ipec. Tarcísio registrou 19% de rejeição, e Rodrigo, 9%.

  1. Fernando Haddad (PT): 34% (30% na pesquisa anterior)

  2. Tarcísio de Freitas (Republicanos): 19% (18% na pesquisa anterior)

  3. Rodrigo Garcia (PSDB): 9% (8% na pesquisa anterior)

  4. Altino Junior (PSTU): 8% (8% na pesquisa anterior)

  5. Edson Dorta (PCO): 8% (6% na pesquisa anterior)

  6. Elvis Cezar (PDT): 8% (7% na pesquisa anterior)

  7. Antonio Jorge (DC): 8% (7% na pesquisa anterior)

  8. Carol Vigliar (UP): 7% (6% na pesquisa anterior)

  9. Gabriel Colombo (PCB): 6% (6% na pesquisa anterior)

  10. Vinícius Poit (Novo): 7% (7% na pesquisa anterior)

  11. Poderia votar em todos: 8% (8% na pesquisa anterior)

  12. Não souberam responder: 28% (27% na pesquisa anterior)

AVALIAÇÃO DO GOVERNO

A gestão de Rodrigo Garcia é avaliada como ótima ou boa por 27% dos entrevistados. Outros 40% consideram o governo regular, 19% avaliam como ruim ou péssimo e 14% não souberam responder.

ESPONTÂNEO

No levantamento espontâneo, em que os entrevistados dizem em quem pretendem votar sem ouvir a lista de candidatos, Haddad aparece com 18%, contra 12% de Tarcísio e 8% de Rodrigo. Os demais candidatos não pontuaram ou não foram citados.

Outros nomes, que não constam entre os candidatos, chegam a 2%. Os entrevistados que não sabem são 49%. Votos em branco ou nulo ficaram em 10%.

Pesquisas eleitorais, como saber em quais posso confiar?

Em meio a essa diversidade de levantamentos existentes no Brasil, muitos eleitores não sabem em quais resultados acreditar.

No primeiro dia do ano passou a ser obrigatório (leia a resolução clicando aqui)o registro junto à Justiça Eleitoral de qualquer pesquisa pública relacionada às eleições para presidente e governador. Porém, se uma pesquisa está registrada não necessariamente significa que ela será confiável, isso porque não há nenhum tipo de fiscalização prévia sobre a metodologia desses levantamentos.

Atualmente, a confiabilidade das pesquisas é garantida no Brasil por meio da transparência. São algumas das informações que devem ser cadastradas junto à Justiça Eleitoral, tornando as pesquisas passíveis de contestação, caso qualquer irregularidade seja encontrada posteriormente:

  • Nome do contratante

  • Valor cobrado pela pesquisa

  • Origem dos recursos investidos

  • Metodologia

  • Período de realização

  • Sistema de fiscalização da coleta de dados

  • Tipo de questionário aplicado

Para identificar os atributos que mais merecem atenção nas pesquisas eleitorais, a reportagem do Yahoo! Notícias conversou com alguns especialistas no assunto e separou uma lista com os pontos mais importantes, confira aqui.

Qual a data das Eleições 2022?

O primeiro turno das eleições será realizado no dia 2 de outubro, um domingo. Já o segundo turno – caso necessário – será disputado no dia 30 de outubro, também um domingo.

Veja a ordem de escolha na urna eletrônica nas Eleições 2022

  1. Deputado federal (quatro dígitos)

  2. Deputado estadual (cinco dígitos)

  3. Senador (três dígitos)

  4. Governador (dois dígitos)

  5. Presidente da República (dois dígitos)