Ipespe mostra Lula ainda 20 pontos à frente de Bolsonaro; Moro empata com Ciro no terceiro lugar

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva discursa durante congresso da Força Sindical em São Paulo
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Por Lisandra Paraguassu

BRASÍLIA (Reuters) - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) manteve a dianteira de 20 pontos percentuais sobre o presidente Jair Bolsonaro (PL) para a eleição presidencial deste ano, de acordo com pesquisa Ipespe divulgada nesta quinta-feira, com 44% das intenções de voto, contra 24% de Bolsonaro.

Lula e Bolsonaro mantiveram os mesmos percentuais registrados nas últimas duas pesquisas, feitas no dia 8 deste mês e em dezembro do ano passado.

O Ipespe mostra ainda que se mantém a dificuldade de construção de uma terceira via, apesar da variada apresentação de candidatos. Nenhum deles chega aos dois dígitos nas intenções de voto.

O ex-juiz e ex-ministro da Justiça de Bolsonaro Sergio Moro (Podemos) aparece empatado com Ciro Gomes (PDT), ambos com 8%. Moro oscilou negativamente, dentro da margem de erro, e perdeu um ponto em relação a pesquisa feita no início do mês. Já Ciro ganhou um ponto.

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), aparece com 2%, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) e a senadora Simone Tebet (MDB-MS), ficaram com 1% cada. Felipe D’Ávila (Novo) não pontuou.

Um segundo cenário, sem a participação de Moro, mostra que os votos do ex-juiz se espalhariam, indo em parte para Bolsonaro, que oscilaria, dentro da margem de erro, para 26% das intenções de voto. Doria subiria para 4% e Ciro para 9%.

Nas simulações de segundo turno, a pesquisa mostra que Lula mantém a liderança, vencendo em todos os cenários. No mais provável nesse momento, o ex-presidente venceria Bolsonaro por 54% a 30%.

Já o atual presidente perderia em todos os cenários pesquisados, sendo o mais apertado contra Moro, em que o ex-juiz venceria por 35% a 28%.

AVALIAÇÃO DO GOVERNO

A pesquisa incluiu indagou ainda sobre a avaliação do atual governo. A avaliação negativa subiu um ponto percentual em relação ao início de janeiro, dentro da margem de erro, chegando em 55% de entrevistados que consideram o governo ruim ou péssimo. O percentual dos consideram o governo bom ou ótimo é de 23%, um ponto a menos que na pesquisa anterior, enquanto 21% avaliam como regular, mesmo percentual da sondagem anterior.

O levantamento mostrou ainda que 64% dos entrevistados desaprovam o governo, mantendo o percentual da pesquisa anterior, enquanto 29% aprovam, um ponto a menos do que na sondagem prévia.

O Ipespe ouviu 1.000 pessoas entre os dias 24 e 25 de janeiro. A margem de erro da pesquisa é de 3,2 pontos percentuais.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos