Iphan oficializa processo para registrar o Forró como Patrimônio Cultural do Brasil

·1 min de leitura

BRASÍLIA — O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) anunciou na sexta-feira a abertura do processo administrativo oara registrar as "Matrizes Tradicionais do Forró" como Patrimônio Cultural do Brasil. A decisão foi publicada no Diário Oficial da União.

A proposta, apresentada pela Associação Balaio do Nordeste e pelo Fórum Forró de Raiz da Paraíba, recebeu endosso da Superintendência do Iphan no estado, além de um abaixo-assinado com participação de 423 forrozeiros de todo o país.

De acordo com o documento, a justificativa para a abertura do processo é o reconhecimento do Forró como "forma de expressão multimodal, cujo núcleo é a performance social de um leque de tipos de música e dança" no âmbito da cultura popular.

"O forró, assim como o choro, o frevo e o samba, definiu-se nos bailes e festividades populares, num ambiente de ampla participação e de contatos físicos e culturais", ressalta a proposta.

Com a publicação no DOU, foi aberto o prazo de 30 dias para manifestações de interessados. Após esse período, haverá votação no Conselho Consultivo do Patrimônio.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos