Irã abre investigação sobre desaparecimento e morte de uma adolescente após manifestação

© AFP

As autoridades judiciais iranianas abriram uma investigação sobre a causa da morte de uma adolescente que teria sido assassinada durante protestos pela morte de Mahsa Amini, informou a agência de notícias oficial Irna. Agências internacionais relatam que a família da vítima acusa as forças de segurança de terem "roubado" o corpo da jovem e de o terem enterrado fora de sua cidade natal. Oito suspeitos de envolvimento no caso foram detidos.

Nika Shakarami, de 17 anos, ficou desaparecida durante dez dias após ter participado de uma manifestação em Teerã, no dia 20 de setembro. Seu corpo teria sido localizado e identificado em um necrotério. Segundo a agência Irna, os médicos legistas ainda não forneceram o relatório final sobre as causas da morte às autoridades judiciais. No entanto, a família da adolescente acusa os agentes de segurança de terem roubado o corpo da menor e de o terem enterrado secretamente.

A República Islâmica tem sido palco de protestos desde que Mahsa Amini, uma curda iraniana de 22 anos, morreu em 16 de setembro após sua prisão em Teerã pela chamada polícia moral, que a acusou de ter violado o código vestimentar do país ao usar o véu islâmico de maneira inadequada.

Centena de mortos

(Com informações da AFP)


Leia mais em RFI

Leia também:
Juliette Binoche, Isabelle Adjani e outras 50 celebridades francesas cortam os cabelos em solidariedade às iranianas
Irã acusa Estados Unidos de hipocrisia após promessa de novas sanções pela repressão a protestos
Aiatolá Khamenei acusa EUA e Israel por protestos no Irã após morte de Mahsa Amini