Irã acelera produção de urânio enriquecido a 60% (AIEA)

·1 minuto de leitura
(Arquivo) O diretor-geral da AIEA, Rafael Grossi

O Irã lançou um novo processo para aumentar o ritmo de produção de urânio enriquecido, informou nesta terça-feira a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), no momento em que as negociações diplomáticas para salvar o acordo de 2015 estão paralisadas.

Em seu relatório mais recente, o diretor-geral da agência da ONU, Rafael Grossi, informa aos países membros que Teerã configurou "um novo modo operacional para a produção de urânio enriquecido a 60% em sua usina de Natanz (centro), segundo declaração enviada à AFP.

A partir de agora, "duas cascatas de centrífugas" serão usadas, em vez de uma, se não for levado em conta um teste inicial de vários dias ocorrido em abril, explica a AIEA, acrescentando que o Irã já lançou o processo.

Teerã começou em abril a enriquecer urânio nesse nível, frente aos 20% anteriores e bem acima do limite de 3,67% estabelecido pelo acordo internacional sobre seu programa nuclear fechado em 2015. Para fabricar uma bomba atômica, o enriquecimento deve ser aumentado para 90%, embora outras etapas sejam necessárias.

O Irã, que sempre negou querer se equipar com a bomba atômica, deixou progressivamente de cumprir o compromisso de limitar seu programa nuclear em troca do levantamento das sanções do Ocidente e da ONU. A retirada dos EUA do pacto, em 2018, minou o acordo.

anb/slb/tjc/lda/lb

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos