Irã anuncia sanções a 15 empresas americanas por apoio a Israel

Uma figura que representa a Estátua da Liberdade decorada com a Estrela de Davi é queimada durante um protesto em Teerã em 1º de julho de 2016

O Irã anunciou neste domingo sanções contra 15 empresas americanas por seu apoio a Israel e às "ações terroristas deste regime", informou a agência oficial Irna.

A decisão, sobretudo simbólica porque estas empresas não possuem negócios no Irã, foi anunciada dois dias depois do governo dos Estados Unidos ter divulgado sanções a 30 empresas e indivíduos de 10 países, acusados de colaboração com o programa armamentista do Irã.

De acordo com o comunicado, "fica proibida qualquer transação com estas empresas, seus bens serão apreendidos e seus diretores não receberão visto do Irã".

O anúncio é mais um elemento da tensão crescente entre Irã e Estados Unidos desde a chegada à Casa Branca de Donald Trump, um crítico do acordo entre Teerã e as grandes potências sobre o programa nuclear iraniano.

A decisão também é uma "reação" às sanções americanas impostas em fevereiro após um teste de mísseis do Irã, indica o comunicado.

Entre as empresas afetadas pelas sanções estão a United Technologies, cuja filial de Defesa teria vendido helicópteros a Israel, a IIT Corporation, especializada em componentes industriais, ou a Bushmaster Firearms International, que fabrica armas de fogo.