Irã busca garantias mais fortes dos EUA para retomada do acordo nuclear de 2015

Ilustração das bandeiras de Irã e EUA

DUBAI (Reuters) - O Irã precisa de garantias mais fortes de Washington para a retomada do acordo nuclear de 2015, disse seu ministro das Relações Exteriores em Moscou nesta quarta-feira, acrescentando que o órgão de vigilância atômica da ONU deve abandonar suas "investigações politicamente motivadas" sobre o trabalho nuclear de Teerã.

Após 16 meses de conversas indiretas entre Teerã e Washington, o chefe de política externa da União Europeia, Josep Borrell, disse em 8 de agosto que a UE fez uma oferta final para superar um impasse para a retomada do acordo.

O principal diplomata do Irã, Hossein Amirabdollahian, afirmou que Teerã está revisando cuidadosamente a resposta de Washington ao texto, que foi transmitida ao Irã na semana passada pela UE como coordenadora das negociações nucleares.

"O Irã está revisando cuidadosamente o texto elaborado pela UE... Precisamos de garantias mais fortes da outra parte para ter um acordo sustentável... A agência (da ONU) deve encerrar suas investigações politicamente motivadas", disse Amirabdollahian a repórteres.

Em 2018, o então presidente dos EUA Donald Trump abandonou o pacto nuclear e reimpôs duras sanções dos EUA, levando Teerã a começar a violar as restrições nucleares do pacto.

(Por Parisa Hafezi)