Irã disposto a trocar prisioneiros com os Estados Unidos

O líder supremo do Irã, o aiatolá Ali Khamenei, fala por videoconferência com o presidente Hassan Rohani (C) em 10 de maio de 2020 em Teerã

O governo do Irã reiterou neste domingo que está disposto a fazer uma troca de prisioneiros com os Estados Unidos, "sem condições prévias", e com a afirmação que a bola está do lado de Washington agora.

A República Islâmica já havia anunciado em dezembro que estava aberta a mais trocas de prisioneiros com os Estados Unidos, após o intercâmbio de um americano preso no Irã por um iraniano preso no país da América do Norte.

"A vontade é trocar todos os prisioneiros (...) sem condições prévias, mas o governo americano até agora se negou a responder", afirmou Ali Rabi, porta-voz do governo.

"Parece que os Estados Unidos agora estão mais dispostos do que antes" a tomar esse tipo de medida, acrescentou, antes de destacar: "Washington foi informado de nossa disposição".

Rabi declarou que está preocupado com a saúde dos iranianos prisioneiros nos Estados Unidos, alegando que "não estão sendo tratados corretamente".

Em março, quando a pandemia de COVID-19 se propagou no Irã, o governo dos Estados Unidos pediu à República Islâmica a libertação de todos os prisioneiros americanos. Teerã solicitou a Washington reciprocidade.

O Irã é o país mais afetado pela pandemia no Oriente Médio, enquanto os Estados Unidos registram o maior número de mortes vinculadas ao coronavírus no mundo.

A República Islâmica liberou temporariamente mais de 100.000 detentos em várias etapas desde março por causa da COVID-19, de acordo com seu sistema judicial.