Irã diz que EUA deveriam agir primeiro para resolver disputa sobre acordo nuclear

Parisa Hafezi
·1 minuto de leitura
Chanceler iraniano, Mohammad Javad Zarif

Por Parisa Hafezi

DUBAI (Reuters) - Os Estados Unidos deveriam agir primeiro e voltar ao acordo nuclear de 2015 com o Irã que foi abandonado em 2018, afirmou o ministro das Relações Exteriores iraniano no Twitter nesta quinta-feira depois que Washington demandou que Teerã antes reverta as medidas que rompem o pacto.

O novo secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, reafirmou na quarta-feira a política do presidente Joe Biden de que Teerã precisa retomar o cumprimento das contenções sobre atividades nucleares estipuladas pelo acordo antes de os Estados Unidos retomarem o pacto abandonado pelo ex-presidente Donald Trump.

"A realidade para o @SecBlinken: Os EUA violaram o JCPOA --bloquearam alimentos e medicamentos para os iraniano-- puniram a adesão ao UNSCR 2231 (resolução da ONU que endossa o acordo). Em meio a essa bagunça sórdida, o Irã --que manteve o JCPOA-- apenas tomou medidas corretivas previstas", tuitou Mohammad Javad Zarif.

O JCPOA (Plano de Ação Conjunto Global) é o acrônimo oficial do acordo, e Zarif estava novamente acusando Washington de ter barrado ilegalmente importações humanitárias ao Irã após Trump restabelecer sanções sobre o país, embora Teerã tenha apenas quebrado os limites de enriquecimento de Urânio estabelecidos em resposta ao repúdio de Trump ao acordo.

"Agora", escreveu Zarif na rede social "quem deveria tomar o primeiro passo? Nunca esqueça do fracasso máximo de Trump."

O acordo de 2015 suspendeu sanções sobre o Irã em troca de limites ao controverso programa nuclear do país, mas após a saída de Trump, o Irã violou as condições estabelecidas pelo documento em uma resposta passo a passo à política de "máxima pressão" do ex-presidente republicano.