Irã eleva enriquecimento de urânio a nível semelhante ao de armas, diz AIEA

·2 minuto de leitura
Bandeira do Irã do lado de fora da sede da Agência Internacioal de Energia Atômica em Viena

Por Francois Murphy

VIENA (Reuters) - O Irã está elevando o enriquecimento de urânio a um nível semelhante ao de armas, disse a Agência Internacional de Energia atômica (AIEA) na terça-feira em um relatório visto pela Reuters, uma medida que eleva as tensões com o Ocidente no momento em que os dois lados tentam retomar as conversas sobre a reativação do acordo nuclear de Teerã.

O Irã aumentou o nível de pureza físsil com que está refinando o urânio de 20% em abril para 60% em reação a uma explosão e um blecaute em sua instalação de Natanz que prejudicou a produção na principal planta subterrânea de enriquecimento do local.

Teerã atribuiu o ataque a Israel. O nível para uso em armas é de cerca de 90% de pureza.

Em maio, a AIEA relatou que o Irã estava usando uma cascata de centrífugas avançadas para enriquecer a até 60% na planta piloto de enriquecimento de Natanz. Nesta terça-feira, a agência informou seus países-membros que agora o Irã também está usando uma segunda cascata para este fim.

A medida é a mais recente de muitas do Irã que violam as restrições impostas pelo acordo nuclear de 2015, que limitou em 3,67% a pureza com que Teerã pode refinar o urânio. Os Estados Unidos e seus aliados europeus alertam que tais ações ameaçam as conversas para a reativação do pacto, atualmente suspensas.

Após a reportagem da Reuters, o Irã reiterou que seu programa nuclear é pacífico e disse ter informado a AIEA sobre suas atividades de enriquecimento. O país acrescentou que seu afastamento do pacto de 2015 seria revertido se os EUA voltassem ao acordo e suspendessem sanções, noticiou a mídia estatal.

"Se as outras partes retomarem suas obrigações conforme o acordo nuclear e Washington suspender de forma total e verificável suas sanções unilaterais e ilegais... toda a mitigação e as contramedidas do Irã serão reversíveis", disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Saeed Khatibzadeh, segundo citações da mídia estatal.

Na segunda-feira, a AIEA disse que Teerã progrediu em seu trabalho com metal de urânio enriquecido, apesar das objeções de potências ocidentais segundo as quais não existe aplicação civil crível para tal trabalho.

O metal de urânio pode ser usado para fazer o núcleo de uma bomba nuclear, mas o Irã diz que suas metas são pacíficas e que está desenvolvendo combustível de reator.

(Reportagem adicional da redação de Dubai)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos