Irã inicia enriquecimento de urânio a 60% de pureza, diz autoridade

Chefe da Organização de Energia Atômica do Irã, Mohammad Eslami, durante reunião da Agência Internacional de Energia Atômica em Viena

Por Parisa Hafezi e Elwely Elwelly

DUBAI (Reuters) - O Irã começou a enriquecer urânio com 60% de pureza em sua instalação nuclear subterrânea de Fordow, disse o chefe nuclear do país nesta terça-feira, uma medida que pode provocar as potências ocidentais pressionando Teerã a reduzir seu desenvolvimento nuclear ao tentarem reviver um acordo de 2015.

O Irã já está enriquecendo urânio com até 60% de pureza em outros locais, bem abaixo dos cerca de 90% necessários para fabricar armamentos, mas acima dos 20% que produzia antes do acordo de 2015 com as principais potências mundiais para limitar o enriquecimento em 3,67%.

"Dissemos que o Irã reagiria seriamente a qualquer resolução e pressão política... é por isso que o Irã começou a enriquecer urânio com 60% de pureza a partir de segunda-feira na instalação de Fordow", disse Mohammad Eslami, segundo a imprensa iraniana.

O Conselho de Governadores de 35 países da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) aprovou na quinta-feira uma resolução ordenando que o Irã coopere urgentemente com a investigação da agência sobre vestígios de urânio encontrados em três locais não declarados. O Irã alertou que a medida pode impactar suas "relações construtivas" com a agência.

Em uma carta à AIEA, de acordo com a agência de notícias semioficial ISNA, o Irã informou a agência sobre a decisão de Teerã de usar "centrífugas avançadas IR-6 para produzir urânio enriquecido a 60%" em Fordow, um local subterrâneo dentro de uma montanha.

O pacto nuclear de 2015 entre o Irã e seis potências mundiais permite que o país use apenas centrífugas IR-1 de primeira geração, mas, como o acordo foi desfeito depois que o então presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, o abandonou em 2018, Teerã instalou cascatas de centrífugas avançadas mais eficientes, como o IR-2m, IR-4 e IR-6.

Em junho, a Reuters informou que Teerã estava aumentando ainda mais seu enriquecimento de urânio, preparando-se para usar centrífugas IR-6, que podem alternar facilmente entre os níveis de enriquecimento, na instalação de Fordow.

As negociações indiretas entre Teerã e o governo do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, para retomar o acordo de 2015 estão em um impasse desde setembro, com os dois lados exigindo mais flexibilidade.

(Reportagem de Parisa Hafezi e Elwely Elwelly)