Irã lançou centrífugas avançadas em Natanz, diz AIEA

·2 minuto de leitura
Diretor-geral da AIEA Rafael Mariano Grossi
Diretor-geral da AIEA Rafael Mariano Grossi

A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), informou nesta quarta-feira (18) que o Irã iniciou o funcionamento das "centrífugas avançadas" que foram deslocadas para um setor subterrâneo da central de Natanz, o principal centro de enriquecimento de urânio.

Em um relatório publicado na semana passada, a agência da ONU informou sobre a mudança das centrífugas após uma explosão em outra instalação, classificada como "sabotagem" por Teerã.

Conforme o acordo assinado em Viena em 2015, o Irã não está autorizado a utilizar centrífugas tão aperfeiçoadas.

Desde maio de 2019, o Irã foi abandonando gradualmente seus compromissos em resposta à retirada dos EUA do acordo assinado em Viena em 2015, e ao restabelecimento das sanções por parte do governo do presidente Donald Trump.

Segundo o último relatório da AIEA, a quantidade de urânio pouco enriquecido supera agora 12 vezes o limite autorizado.

Depois de ler este documento, Donald Trump teria sondado algumas autoridades americanas sobre a possibilidade de "agir" contra uma instalação nuclear iraniana, provavelmente Natanz, informou o jornal New York Times nesta semana.

Essas autoridades "dissuadiram o presidente de um ataque militar", devido ao risco de desencadear rapidamente um conflito maior, afirmou o jornal.

Quando foi questionado sobre o assunto, o titular da AIEA, Rafael Grossi se recusou a especular. "Não recebemos nenhuma informação", comentou brevemente.

O chefe da AIEA também voltou a visitar o local suspeito do distrito de Turquzabad em Teerã, denunciado no passado pelo governo israelense como palco de atividades atômicas secretas.

A agência pediu recentemente "uma explicação completa e rápida ao Irã sobre a presença de partículas de urânio antropogênico (resultantes de atividades humanas)".

"O que nos dizem, de um ponto de vista técnico, não se sustenta", explicou Rafael Grossi. "Precisam nos explicar por que encontramos o que encontramos".

jsk-anb/bg/mab/mb/aa