Irã marca reunião sobre inquérito da agência atômica da ONU

Bandeira do Irã em Viena

Por Francois Murphy

VIENA (Reuters) - O Irã concordou com uma visita do órgão de vigilância nuclear da ONU este mês para começar a dar respostas que a agência e seu conselho de 35 países pedem há muito tempo sobre a origem das partículas de urânio encontradas em três locais, segundo relatório da AIEA visto pela Reuters nesta quinta-feira.

O Irã ainda não forneceu material novo, no entanto, e sua oferta veio antes da reunião trimestral da próxima semana do Conselho de Governadores da Agência Internacional de Energia Atômica, na qual diplomatas dizem esperar que as potências ocidentais pressionem por uma resolução pedindo que o Irã coopere, uma medida que Teerã geralmente não gosta.

"(O chefe da AIEA, Rafael Grossi) toma conhecimento da proposta do Irã de realizar mais uma reunião técnica com altos funcionários da Agência em Teerã antes do final do mês, mas enfatiza que esta reunião deve ter como objetivo esclarecer e resolver efetivamente essas questões", disse um dos dois relatórios confidenciais da AIEA sobre o Irã enviados aos Estados membros na quinta-feira antes da reunião do conselho.

A AIEA "espera começar a receber do Irã explicações tecnicamente confiáveis ​​sobre essas questões, incluindo acesso a locais e materiais, bem como a coleta de amostras conforme apropriado", acrescentou.

Um diplomata sênior disse que a agência com sede em Viena espera que a reunião seja o início de um processo que leve a respostas, mas também é necessário um progresso concreto na própria reunião.