Irã nega acusações dos EUA sobre ajuda à Venezuela

Escultura em frente à sede da companhia estatal petroleira venezuelana PDVSA, em Caracas, em 22 de abril de 2020

O Irã rejeitou, nesta sexta-feira (1o), as acusações do governo americano de que está ajudando a Venezuela a reconstruir sua indústria de petróleo e respondeu que Washington tenta minar as relações comerciais entre os dois países.

O principal diplomata dos Estados Unidos para assuntos venezuelanos, Elliott Abrams, disse ontem que "o Irã está desempenhando um papel cada vez maior" na Venezuela.

"Estamos vendo o Irã enviando mais e mais aviões para a Venezuela, particularmente esta semana. E acreditamos que eles são pagos com ouro, que os aviões vindos do Irã que estão trazendo coisas para a indústria do petróleo estão retornando com pagamentos por essas coisas: ouro", afirmou Abrams.

Os Estados Unidos impuseram sanções às exportações de petróleo da Venezuela e do Irã, assim como a várias autoridades civis e militares dos governos de ambos os países.

As alegações de Abram "são infundadas", disse Teerã, sem refutar especificamente a questão do ouro.

Washington está tentando aumentar "a pressão sobre o governo venezuelano e interromper o comércio entre o Irã e a Venezuela", insistiu o governo iraniano.

Segundo Teerã, a política de Washington sobre Caracas fracassou, incluindo "sanções econômicas, ameaças militares e um recente conselho de transição".

Por isso, completa, Washington está "tentando criar obstáculos aos planos da Venezuela de reconstruir suas refinarias e produzir derivados como a gasolina, que é escassa devido às cruéis sanções dos EUA".