Irã nega dimensão militar em seu programa espacial

(Arquivo) Foto distribuída pelo Ministério da Defesa iraniano mostrando um foguete responsável pelo lançamento de um satélite em um local não localizado no Irã

O ministro da Defesa do Irã, Amir Hatami, negou nesta quarta-feira as acusações do governo dos Estados Unidos contra o programa espacial de Teerã, que segundo Washington teria uma dimensão militar.

"O tema dos veículos lançadores de satélites é uma questão civil", disse o ministro, de acordo com a agência estatal IRNA, poucos dias após o lançamento frustrado de um satélite iraniano.

"Podemos utilizar um satélite com fins de defesa, mas o veículo lançador espacial é um tema que não é, de maneira alguma, de defesa. É um direito absoluto e definido da nação iraniana", completou.

"Não há nenhuma proibição no mundo contra este programa espacial", disse o ministro.

O Irã lançou no domingo um novo satélite de observação científica, chamado Zafar, mas não conseguiu colocá-lo em órbita.

Na terça-feira, o chefe da diplomacia americana, Mike Pompeo, acusou o Irã de querer reforçar sua capacidade na área de mísseis balísticos com o lançamento de satélites.

"As tecnologias utilizadas para colocar satélites em órbita são praticamente idênticas e intercambiáveis com as que são usadas para os mísseis balísticos intercontinentais", disse.

Hatami, no entanto, disse que o Irã prosseguirá com o programa espacial e prevê o lançamento de uma nova versão do satélite Zafar em 2021.

"O Zafar 2, levando em consideração seu peso, será lançado pelo Simorgh", disse o ministro, em referência ao foguete utilizado para o lançamento de domingo passado.