Irã rejeita parar de enriquecer urânio a 20% antes de EUA retirarem sanções

·2 minuto de leitura
Bandeira do Irã em Viena

DUBAI (Reuters) - O Irã não vai parar de enriquecer urânio a 20% antes de os Estados Unidos retirarem todas as sanções impostas ao país, disse uma autoridade iraniana não identificada, de acordo com a TV estatal da República Islâmica nesta terça-feira, depois de relatos na mídia norte-americana de que Washington faria uma nova proposta para iniciar negociações.

O governo do presidente dos EUA, Joe Biden, tem buscado envolver o Irã em negociações sobre a volta dos dois lados aos termos do acordo nuclear firmado em 2015. O acordo retirava sanções econômicas sobre Teerã em troca de restrições ao programa nuclear iraniano que tornariam mais difícil para o país obter uma arma nuclear --ambição que o Irã nega ter.

"Uma alta autoridade iraniana disse à Press TV que Teerã vai parar seu enriquecimento de urânio a 20% somente se os EUA retirarem TODAS as sanções que impôs ao Irã primeiro", disse a estatal Press TV em seu site.

"A autoridade disse que Teerã reduzirá ainda mais seus compromissos sob o acordo nuclear de 2015 se os EUA não retirarem todas as sanções, alertando Washington de que o tempo está se esgotando rapidamente."

Separadamente, a delegação do Irã na Organização das Nações Unidas (ONU) tuitou: "Nenhuma proposta é necessária para os EUA voltarem ao JCPOA (sigla do acordo nuclear). Isso exige somente uma decisão política dos EUA para implementar completa e imediatamente todas as suas obrigações sob o acordo".

O site Politico informou mais cedo sobre a proposta norte-americana, cujos detalhes ainda estão sendo finalizados, e que pediria ao Irã para suspender algumas de suas atividades na área nuclear, como trabalhos em centrífugas avançadas e o enriquecimento do urânio a uma pureza de 20%, em troca de algum alívio nas sanções.

O antecessor de Biden, Donald Trump, retirou os EUA do acordo nuclear em 2018 e reimpôs sanções ao Irã.

Após esperar mais de um ano, o Irã retaliou ao violar algumas das restrições do acordo, incluindo um limite de 3,67% no enriquecimento de urânio.

As chances de ressuscitar o acordo antes do Irã realizar eleições presidenciais em junho diminuíram depois que Teerã decidiu adotar uma postura mais dura antes de retomar as conversas, disseram autoridades.

(Reportagem de redação Dubai)