IR: Receita Federal deposita restituições do primeiro lote residual de 2020

RIO -A ReceitaFederal depositou, nesta quarta-feira, as restituições do primeiro lote residual de 2020 referente ao Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF). Essa leva de devoluções inclui pessoas que caíram na malha fina e aguardavam a liberação do dinheiro dos exercícios de 2008 a 2019.

Desta vez, foram contemplados 185.891 pessoas, totalizando R$ 725 milhões. O valor devido está creditado na conta indicada pelo contribuinte na declaração de ajuste anual.

Esse lote residual inclui também cidadãos com prioridade de recebimento garantida por lei. São 8.010 idosos acima de 80 anos, 36.161 pessoas entre 60 e 79 anos, 4.412 contribuintes com alguma deficiência física ou mental ou moléstia grave e 9.387 trabalhadores cuja maior fonte de renda é o magistério.

Os montantes de restituição de cada exercício vêm corrigidos pela taxa básica de juros (Selic). Para as devoluções referentes a 2019, a correção é de 4,77% (acumulado de maio do ano passado a janeiro deste ano). As mais antigas têm 113,05% (acumulado de maio de 2008 a janeiro de 2020).

Para saber se teve a declaração liberada após cair na malha fina, o contribuinte deve acessar a página da Receita Federal ou ligar para o Receitafone 146, com o número de CPF em mãos.

Disponível por um ano

A restituição ficará disponível para retirada no banco por um ano. Se não fizer o resgate nesse prazo, o contribuinte deverá requerer a devolução pela internet, preenchendo o Formulário Eletrônico - Pedido de Pagamento de Restituição, ou diretamente no e-CAC, no serviço Extrato do Processamento da DIRPF.

Se o dinheiro não estiver na conta

Se o dinheiro não estiver creditado na conta indicada na declaração, o interessado poderá procurar qualquer agência do Banco do Brasil (BB) ou ligar para a central de atendimento da instituição pelos telefones 4004-0001 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (exclusivo para deficientes auditivos).

O crédito será agendado numa conta-corrente ou numa caderneta de poupança, em nome do titular, em qualquer instituição financeira de sua preferência.