Iraniana-britânica Zaghari-Ratcliffe é julgada no Irã por propaganda contra o sistema

·1 minuto de leitura
Richard Ratcliffe, marido de Nazanin Zaghari-Ratcliffe, em frente à embaixada iraniana em Londres, pede libertação de sua esposa

A iraniana-británica Nazanin Zaghari-Ratcliffe compareceu neste domingo (14) a um tribunal de Teerã para ser julgada por "propaganda contra o sistema" da República Islâmica, após ter cumprido uma pena de cinco anos de prisão, informou seu advogado à AFP.

"O julgamento aconteceu em um ambiente muito calmo e na presença da minha cliente", declarou à AFP o advogado Hojjat Kermani.

"A contestação ocorreu e o julgamento foi encerrado", acrescentou Kermani, dando a entender que o tribunal dará seu veredito mais tarde.

"Considerando os elementos apresentados pela defesa e o procedimento jurídico e o fato de minha cliente ter cumprido sua pena anterior, espero que seja absolvida", disse o advogado.

Zaghari-Ratcliffe, 42 anos, foi julgada por "propaganda contra o sistema por ter participado em uma manifestação em frente à Embaixada do Irã em Londres em 2009", explicou o advogado à AFP.

Funcionária da Fundação Thomson Reuters, ramo filantrópico da agência de notícias de mesmo nome, Zaghari-Ratcliffe foi detida em abril de 2016 no aeroporto de Teerã depois de uma visita à sua família.

Acusada de ter conspirado para derrubar o governo islâmico, o que ela nega firmemente, Zaghari-Ratcliffe foi condenada em setembro de 2016 a cinco anos de prisão, pena que acabou de cumprir em 7 de março.

ap-mj/elm/zm/mis/aa