Iraque: Mais de 150 mil pessoas fugiram dos combates no oeste de Mossul

(14 mar) Forças do governo iraquiano disparam um foguete contra posições do Estado Islâmico no oeste de Mossul

Mais de 150.000 pessoas fugiram da zona oeste de Mossul e seus arredores desde o início, há um mês, da ofensiva das forças iraquianas para reconquistar a cidade da região norte do Iraque, reduto do grupo Estado Islâmico (EI), anunciaram nesta quinta-feira autoridades.

No total, 152.857 pessoas abandonaram suas casas, informou o ministério de Migrações e Deslocados.

A maioria, mais de 98.000, buscou refúgio nos campos estabelecidos nos arredores de Mossul, onde recebem atendimento médico, mantimentos, colchões e cobertores para dormir, segundo o ministério.

Outras 54.000 pessoas conseguiram refúgio em áreas das quais os extremistas do EI foram expulsos.

Na quarta-feira, a Organização Internacional para as Migrações (OIM) anunciou um balanço de 100.000 deslocados, um número que não leva em consideração as pessoas que não são recebidas nos campos.

Antes da tomada de Mossul pelo EI em 2014, a cidade tinha quase dois milhões de habitantes.

As forças iraquianas, apoiadas pela coalizão internacional antijihadista liderada pelos Estados Unidos, iniciaram em 17 de outubro uma grande ofensiva para reconquistar a segunda maior cidade do Iraque.

No final de janeiro conquistaram a zona leste de Mossul, dividida pelo rio Tigre, e em 19 de fevereiro iniciaram o ataque final para recuperar a parte oeste.