IRB Brasil lança oferta de ações de R$1,2 bi após desenquadramento regulatório

SÃO PAULO (Reuters) - A resseguradora IRB Brasil anunciou no final da noite de quarta-feira uma oferta pública primária de ações que pode levantar até 1,2 bilhão de reais a serem utilizados para reenquadramento dos indicadores regulatórios junto à Susep, autarquia que regula o setor de seguros.

O IRB reportou resultados do segundo trimestre na semana passada, com insuficiência do patrimônio líquido ajustado em relação ao capital mínimo requerido no montante de 614 milhões de reais e não enquadramento da cobertura de provisões técnicas e liquidez regulatória de 730 milhões de reais.

A empresa já havia dito que avaliava uma potencial captação no mercado.

O IRB vai ofertar, inicialmente, até cerca de 597 milhões de ações ao mercado, montante que pode ser elevado em até 200%, quase 1,2 bilhão de ações, caso haja excesso de demanda pelos papéis, segundo prospecto da oferta.

Com base no preço de fechamento da ação do IRB na quarta-feira, a 2,01 reais, a companhia pode captar 1,2 bilhão de reais, sem considerar o lote adicional.

O valor é meramente indicativo, já que a definição do preço por ação ocorrerá em 1° de setembro, após discussão com mercado. No entanto, o IRB observa no prospecto que pelo seu estatuto social só pode elevar o capital em até 1,2 bilhão de reais. Assim, o lote adicional só seria usado caso a oferta saia por um preço inferior a 2,01 reais.

O Bradesco BBI é o coordenador líder da oferta, que é restrita, ou seja, aberta apenas a certos tipos de investidores. Itaú BBA e Santander também fazem parte do sindicato de bancos que assessora a operação.

O Bradesco e o Itaú Unibanco são os dois maiores acionistas da companhia, com participação, por meio de suas respectivas unidades de seguros, de 15,8% e 11,5%.

(Por Andre Romani; edição de Roberto Samora)