Irmã de Gil do Vigor, do ‘BBB 21’, é paquerada nas redes sociais após ‘propaganda’ de economista na TV: ‘Uma cachorrada’

Carol Marques
·2 minuto de leitura

Com cerca de 44 mil habitantes, Janga, bairro do município de Paulista, em Pernambuco, vai ficar pequeno diante da fama de seu morador mais ilustre. É de lá que Gil do Vigor tanto fala no “BBB 21”. Não é só o economista, no entanto, que ganhou seus 15 minutos na TV. A irmã dele, Janielly Nogueira, pode não estar de corpo presente no reality, mas faz parte de muitas conversas de Gil, que não se cansa de elogiá-la.

“Somos muito unidos mesmo. Gil é uma referência para mim em todos os sentidos. Acho engraçado ele contar um monte de história minha”, diz a estudante de Direito, de 31 anos.

E não são poucas as histórias dos irmãos do Vigor. Mãe de um menino, Janny, para os íntimos, conta que foi Gil quem deu toda a força a ela na gestação. Além disso, incentivou a pernambucana a estudar. “Tudo o que conquistei veio do exemplo dele. Gil nunca deixou de me ajudar. Arrumou mais um emprego para pagar minha faculdade e abriu mão de muitas coisas para ele porque dizia que eu tinha que ser uma mulher independente, com uma profissão. Gil me deu autoestima”, avalia ela, no meio de um choro emocionado.

Autoestima hoje é o que não falta à moça. Janielly não economiza em fotos de biquíni, decotes, roupa curta. Diz que nunca se sentiu tão bem com ela mesma. Há algumas semanas, abriu seu perfil no Instagram, antes restrito aos amigos e conhecidos. Assim como o irmão, ela viu seu número de seguidores aumentando a cada dia. Hoje conta com pouco mais de 8 mil, quase o mesmo número com o qual Gilberto entrou no “BBB 21” após comprar alguns seguidores. Os dela, apareceram de forma orgânica. E Janielly vem até lucrando com isso. “Já fiz uns trabalhos, ganhei umas coisinhas”, revela.

Mas o que rende mesmo está na caixa de mensagens privadas. Desde que Gil passou a enaltecer as curvas da irmã em rede nacional, aumentou a paquera. “Recebo muita cantada. Tem muito hater do meu irmão, sim. Mas a maior parte é paquera, homem querendo puxar papo. Uma cachorrada”, brinca ela, usando um bordão do economista.

Trabalhando numa corretora de seguros, Janielly sonha ser advogada criminalista. “Sou braba também, quero é contribuir para prender quem merece”, avisa ela, que chegou a exercer a mesma função de Gil na empresa sem revelar que os dois eram parentes: “Quando descobriram foi até engraçado. A gente saía de casa e voltava junto. Mas lá dentro éramos só colegas. Gil é uma pessoa seríssima no trabalho, discretíssimo. É bom vê-lo mais solto”.