Irmã mais nova do cantor Criolo morre de Covid-19

·2 minuto de leitura

A professora Cleane Gomes, de 39 anos, irmã do rapper Criolo, morreu em decorrência de complicações da Covid-19. Nesta segunda, dia 7, a filósofa e poetisa Maria Vilani, mãe de Criolo e Cleane, publicou um texto em homenagem à filha no Instagram.

"Minha filha, você foi boa mãe, boa filha, boa irmã, magnífica tia, uma excelente amiga e professora, uma grande artista circense e cênica, artista plástica, compositora e poeta das boas. Dona de um coração maior que o corpo. Aprendi muito com você (...) Agradeço a Deus o tempo que Ele permitiu a sua presença nesse plano terrestre", publicou Maria Vilani.

Cleane era professora do CAPSArtes — Centro de Arte e Promoção Social —, em São Paulo. A instituição emitiu uma nota de pesar.

"A história da professora Cleane se confunde com a história do CapsArtes. Todos nós que convivemos com ela estamos com o coração sofrendo. Esse é um daqueles momentos em que não temos muito a dizer, nos faltam palavras".

Parte da história de Cleane também foi lembrada no texto publicado pela mãe, que notou a aptidão da professora para as artes desde o nascimento.

"Quando você nasceu eu falei para o seu pai que havia nascido a artista da família, por isso matriculamos o Clayton e o Kleber numa escola de violão, ou melhor, matriculamos o Clayton, pois o Kleber ficou no curso como ouvinte, não podíamos pagar mensalidade para os dois", diz Maria na publicação.

Kleber, a quem a poetisa se refere no texto, é o cantor Criolo, que ainda se pronunciou publicamente desde a morte da irmã, na madrugada do último sábado, dia 5.

Maria Vilani encerra a emocionada homenagem dizendo que a filha é um "ser eterno".

"Filha, você não está morta, muito menos sepultada (...) você deixou aqui o seu corpo, porém ganhou um corpo sutil compatível com esse Plano onde você cumprirá os desígnios de Deus, aqui você terminou sua missão".