Irmã de Nego do Borel diz que ele vai procurar tratamento psicológico: 'Do jeito que está não vai continuar'

·2 minuto de leitura

Irmã de Nego do Borel, Raiana Gomes afirmou que a família do cantor está buscando tratamento psicológico para o cantor. Depois de deixar recados para o assessor "como se estivesse se despedindo" — e de não responder às chamadas da mãe, que registrou o desaparecimento do filho na polícia —, o funkeiro foi encontrado, na tarde desta terça-feira (5/10), num motel ao lado de duas mulheres.

— Agora iremos procurar um tratamento psicológico para ele, porque do jeito que está não vai continuar — escreveu a irmã do cantor nos stories do Instagram.

Mãe de Nego do Borel, Roseli Viana Pereira havia contado para a polícia, ao registrar a ocorrência de desaparecimento, que encontrou um bilhete numa folha de caderno dizendo: "A Fazenda vai me pagar, fez minha mãe chorar…".

Em setembro, o funkeiro foi expulso do programa "A Fazenda", da TV Record, depois de ser acusado de estupro de vulnerável contra a modelo Dayana Mello, outra participante do reality show. Ele está sendo alvo de uma investigação pela Polícia Civil de São Paulo pelo crime.

Ao deixar o programa, ele gravou um vídeo dizendo foi injustiçado: "Eu dormi do lado de uma pessoa, sim, alcoolizada. Eu tava querendo ficar com ela, e ela querendo ficar comigo. Isso não começou ali, já tinha uma história. Vocês podem ver que depois da noite, na piscina, ela fala que quer dormir comigo de novo. Eu não estou entendendo. Vou acabar tirando a minha vida, não estou blefando, estou falando do fundo do meu coração. Estou querendo saber o que fiz para merecer tanto ódio, estou sendo chamado de bandido. Amigos me abandonaram, não quiseram me escutar".

Segundo a delegada Ellen Souto, titular da Delegacia de Pessoas Desaparecidas (DDPA), o cantor chegou ao motel há dez horas. É ela quem está colhendo o depoimento do cantor. Ele foi encontrado por policiais da especializada que também participavam das buscas.

Nego do Borel chegou à Cidade da Polícia acompanhado por dois agentes, e usava capuz e máscara. Ele fez gestos obscenos ao ser questionado sobre o caso e de ser encontrado no motel. Na delegacia, ele abraçou a mãe.

O delegado Luiz Maurício Armond, titular da 42ª DP (Recreio dos Bandeirantes), mandou uma equipe de sua delegacia a Itacuruçá, após informações de que Nego do Borel poderia estar na região. Na manhã desta terça-feira, os investigadores estiveram em marinas da localidade em busca de pistas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos