Irmã de mulher resgatada após 17 anos de cárcere privado: “Só quero abraçar”

Lugar onde as vítimas eram mantidas em cárcere privado era sujo, mal-cheiroso e com pouquíssimos móveis. (Foto: Divulgação)
Lugar onde as vítimas eram mantidas em cárcere privado era sujo, mal-cheiroso e com pouquíssimos móveis. (Foto: Divulgação)

A irmã de Edna, mulher que foi resgatada nesta quinta-feira (28) após ficar 17 anos em cárcere privado no Rio de Janeiro, afirmou que procurava por ela há 20 anos. As duas foram separadas pelo cunhado Luiz Antônio Santos Silva, que, de acordo com relatos, já era muito violento no início do casamento. Ele foi preso por manter Edna e os dois filhos do casal presos por 17 anos.

Em entrevista ao portal Metrópoles, a irmã disse que conviveu com Edna até os sobrinhos nascerem. Depois disso, segundo relato da irmã, o cunhado impedia que ela fosse visitar a irmã e também não deixava Edna sair de casa.

A irmã contou que chegou a dizer ao cunhado que o denunciaria, quando então ele sumiu levando a irmã e os sobrinhos, hoje com 22 e 19 anos.

A irmã afirmou que Edna está muito magra e com uma aparência irreconhecível e que deseja muito abraçá-la e enchê-la de carinho.

O caso

A Polícia Militar resgatou Edna e os dois filhos nesta quinta-feira (28), em uma casa em Guaratiba, zona oeste do Rio. As vítimas estavam presas há 17 anos.

O resgate foi feito após uma denúncia anônima. Ao chegar ao local, os agentes da 27ºBPM encontraram uma mulher e seus dois filhos em uma casa em condições insalubres. Eles estavam amarrados, sujos e subnutridos.

Os jovens são filhos do suspeito de cometer o crime. O homem foi preso e autuado em flagrante pelos crimes de tortura, cárcere privado e maus-tratos.

As vítimas foram socorridas pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU).

O caso segue sendo investigado pela Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) de Campo Grande.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos