Isabella Scherer detalha rotina de amamentação dos gêmeos Mel e Bento e se derrete: 'Quando eles se olham, é muito fofo'

Isabella Scherer, atriz, cozinheira, empresária e mãe de Mel e Bento, falou da rotina de amamentação dos gêmeos na internet. Filhos do modelo Rodrigo Calazans, os bebês nasceram em 29 de agosto.

— Eles mamam ao mesmo tempo, né? São gêmeos. Aí eu coloco o cronômetro. Dá por volta de 20, 25 minutos deles mamando... Aí eu tenho noção de quanto tempo eles ficam arrotando, que são uns 15 (minutos). Aí eu consigo saber que em três horas eles vão começar a chorar de fome. Eu fico com um cronômetro "para sempre" (diz ela, referindo-se a permanecer com o cronômetro ativo, mesmo fora dos horários de amamentar). Com mais ou menos três horas ou três horas e meia eu sei que eles vão estar com muita fome. É bem regradinho. Dá três horas e o peito já começa a... Eu sinto descer o leite, assim... É muito doido. Amamento os dois ao mesmo tempo para otimizar — explicou Isabella, no podcast "Pod dar errado", de Felipe Hintze e Vinicius Wester.

Mãe de primeira viagem, Isabella se derreteu ao falar das reações dos bebês enquanto estão se alimentando:

— Quando eles se olham, é muito fofo. E aí é cada um no peito. Tipo assim: se um mamou no da esquerda, na próxima ele vai no da direita. Se eu esqueci, aí vai (aleatoriamente).

A atriz, de 26 anos, relatou que tinha o desejo de gestar:

— Eu queria muito ficar grávida, mas eu não conseguia me imaginar ainda sendo mãe, criando, amamentando... Eu tinha pavor de amamentação. Então, ser mãe foi um negócio que fui aceitando. Eu queria muito daqui a alguns anos. Não era algo que eu queria agora. Eu tinha acabado de sair do "Masterchef"... Tinha um monte de coisa que eu queria fazer. Aí veio a gravidez. Mas é uma fase muito legal. Estou amando, amando, amando!

A convidada lembrou que teve pressão alta durante a gestação e teve que tomar cuidados extras no período:

— A gravidez gemelar já é considerada uma gestação de risco (...) Eu tive pré-eclampsia, que é pressão alta. E antes disso eu tive que ficar de repouso... (Os bebês) nascem com mais ou menos, numa gestação normal, entre 38 e 42 semanas. Com 27, eu fiquei internada uma semana no hospital, em trabalho de parto prematuro, tomando medicação para segurar. Começou a ir. Depois do hospital, tive que ficar de repouso até 35 semanas. Quando deu 35 semanas, meu médico liberou para eu levantar e cozinhar, levantar e ir para um restaurante... Fora isso, eu tinha que ficar sentada ou deitada, por causa do peso. Coloquei uma estrutura de plástico na entrada do colo do útero para segurar os dois ali, por causa do peso. Foi muito difícil.

No dia do parto, Isabella teve alta na pressão e os médicos demoraram a controlar. Ela relembra:

— A pressão subiu um monte. Aí eu fui medicada na veia, não estava adiantando. Eu ia ter que ir direto para a UTI tomar uma medicação que chama sulfato de magnésio, que só pode ser feita na UTI, mas meu médico resolveu esperar. Reagi aos remédios, consegui ir para o quarto e fiquei quatro dias com a pressão subindo e descendo. Aí, com quatro dias a pressão subiu ao máximo dela, chegou a 18 por 12, que é muito alta. Eu fui para a UTI tomar medicação e consegui estabilizar. Foi assim por uma semana.