Isaquias Queiroz ganha bronze e fecha Copa do Mundo com duas medalhas

·2 minuto de leitura

Isaquias Queiroz voltou ao pódio na etapa de Szeged, na Hungria, da Copa do Mundo de Canoagem. Neste domingo, em uma prova de ritmo forte, ele e Jacky Godmann Nascimento conquistaram o bronze no C2 1000m. A vitória ficou com a dupla alemã Sebastian Brendel e Tim Hecker. O segundo lugar foi para Cuba, com Serguey Torres Madrigal e Fernando Dayan Jorge Enriquez.

Isaquias também foi na final do C1 500 metros, mas acabou desistindo da prova no meio do percurso. O canoísta, que é tricampeão mundial nesta prova, teve cerca de 30 minutos entre uma final e outra e acabou sentindo o cansaço.

Isaquias Queiroz e Jacky Goldmann, que dividem a canoa de duplas em provas nacionais pelo Flamengo, fizeram o tempo de 3min50seg75. O ouro ficou os alemães que fizeram 3min48seg27.

Isaquias já havia conquistado uma medalha de prata na competição, na prova individual de 1000 metros. Tanto o C1 1000 metros quanto o C2 1000 metros são provas olímpicas.

O Brasil fecha sua participação com as duas medalhas de Isaquias.

— Parei porque estava muito cansado, foi pouco tempo entre uma prova e outra — lamentou Isaquias.

De acordo com o treinador Lauro Cesar Júnior, o principal objetivo do Brasil nesta competição era a avaliação da seleção, uma vez que o foco principal é a Olimpíada de Tóquio. A delegação volta ao Brasil para o último estágio de preparação para Tóquio.

— O nosso foco é Tóquio, a Copa do Mundo foi um laboratório. Tinha dois anos que a equipe não competia em virtude da pandemia. Era importante dar aos atletas a sensação da competição novamente. Os pódios foram consequência — explica Lauro.

Jacky Godmann que substituiu Erlon Souza na canoa de duplas tem 22 anos e está há três anos na seleção permanente, na concentração em Lagoa Santa. O bronze deste domingo é a sua primeira medalha em Copas do Mundo. Ele já havia disputado três vezes eventos do tipo.

No evento, ele também competiu na prova C2 500 metros, ao lado de Filipe Vieira. A dupla foi para a final e garantiu o 4ª lugar.

O Brasil tem três vagas olímpicas na canoagem velocidade para os Jogos de Tóquio, sendo duas na canoa (conquistadas no Mundial realizado em Szeged na Hungria em 2019) e uma no caiaque (cota continental). A definição dos atletas dependerá de avaliação.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos